fbpx

Politica

Trabalhadores rurais buscam apoio para ampliar produção da bacia leiteira

Publicados

em


Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

Com 140 famílias, o assentamento Nossa Senhora Aparecida, Sadia I, de Várzea Grande, recebeu a visita do primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), no sábado (19), para debater ações que fomentem a produção dos pequenos produtores da região, que tem forte potencial à bacia leiteira.  

No local foi implantado um projeto modelo, através da CoopergrandeLac, que recebe leite in natura dos produtores de Várzea Grande, Nossa Senhora do Livramento, Jangada, Barra do Bugres e Rosário Oeste, coletando em média 80 mil litros de leite por mês, de 21 produtores, sendo nove oriundos da agricultura familiar, para o preparo de diversos tipos de queijos e bebidas lácteas.  

Botelho, que é o presidente da Comissão de Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e Regularização Fundiária da ALMT, recebeu ofício 08/2021 da CoopergrandeLac mostrando a necessidade de novos investimentos para fomento do setor com a aquisição de caminhão com tanque resfriador e veículo com refrigeração para entrega dos produtos, promovendo a ampliação da capacidade de beneficiamento para 120 mil litros de leite mensais, conforme explicou o diretor-presidente da cooperativa, João Wanderley Vilela Garcia.  

“A implementação irá nos proporcionar a oportunidade de gerarmos emprego e renda, direta e indiretamente”, afirmou Garcia.

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa assistência e Extensão Rural – Empaer também se manifestou, através do Ofício 015/2021, agradecendo empenho de Botelho em manter defesa da assistência pública e gratuita a serviço do agricultor familiar através da Empaer, que tem mais de 55 anos de história e serviços prestados. Também reforçou a importância de investimentos em equipamentos e máquinas para melhorar a produtividade.

Durante a visita, o parlamentar ouviu relatos de que a cooperativa padece diante às dificuldades e falta de apoio. Hoje, anseiam pela criação de um fundo dentro das cadeias produtivas. “Não tenho dúvidas de que com deputado presidente da comissão agropecuária vamos virar essa história, começar um grande projeto de valorizar a agricultura familiar que tem cem mil famílias e envolve diretamente 600 mil trabalhadores”, disse Gilmar Bruneto, o Gauchinho.  

Eliete Rosa Luiz, 53 anos, está há 20 anos no assentamento, questionou a falta de investimentos. “É um projeto que deveria ser modelo. Mas, não estamos recebendo os benefícios. Com a visita do deputado espero que melhore bastante para o laticínio”, afirmou.  

Botelho reforçou a importância do projeto, que pode servir de referência para outras regiões. Onde ele constatou o cultivo e processamento da ração do gado. Mas, que é preciso muito mais apoio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf).  

“É isso que queríamos que a Seaf fizesse, que trabalhasse esse parque de produção. Aqui é uma região que precisa de apoio, plantam o capim anapiê, fazem a ração, a irrigação, mas precisa da ajuda do governo. A Seaf precisa entender que ela tem que criar áreas produtivas e autossustentáveis. É isso que estamos defendendo, assim como a regularização dos títulos das propriedades”, destacou Botelho.

“A Empaer é muito importante, pois dá assistência aos pequenos produtores para ampliar e melhorar toda a produção. Senão, vai ficar somente os grandes produtores. Queremos que os pequenos tenham condições de alavancar e fortalecer a agricultura familiar”, finalizou o parlamentar.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Politica

Município de Brasnorte poderá ser contemplado com indicações do deputado Paulo Araújo

Publicados

em


Foto: MARCOS LOPES / ALMT

O município de Brasnorte (distante 672 km de Cuiabá) será beneficiado com algumas indicações apresentadas pelo deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas), durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), no dia 6 de julho. Três distritos:  Novo Cáceres, Laranjeiras e Horizonte D’Oeste, localizados em Cáceres (219 km de Cuiabá), também poderão ser contemplados com indicações destinados à saúde odontológica.

Para atender a Casa do Artesão em Brasnorte, o deputado Paulo Araújo indicou (n° 4581/21) ao governador do Estado de Mato Grosso Mauro Mendes com cópia ao secretario de Estado de Cultura Esporte e Lazer, Alberto Machado a necessidade de aquisição de cadeiras, prateleiras, frigobar, ar condicionado, computador completo, nobreak, notebook, impressora colorida e fogão a gás.

Também para o mesmo município o parlamentar encaminhou uma indicação (n° 4588/21) ao governador Mauro Mendes, com cópia ao secretário de Estado de Cultura Esporte e Lazer, Alberto Machado, a necessidade de implantação de um campo de futebol com iluminação e grama sintética na aldeia Japuíra.

Para os distritos de Novo Cáceres, Laranjeiras e Horizonte D’Oeste, o deputado indicou (n° 4585/21) ao governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, com cópia ao Gilberto Gomes de Figueiredo acerca da necessidade de viabilização de recursos financeiros destinados a saúde odontológica. 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Politica

Claudinei sugere Escolas Cívico-Militares em Primavera do Leste e Campo Novo do Parecis

Publicados

em


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Por conta do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares do Governo Federal que prevê a implantação de 216 unidades até 2023, em todo o país, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) apontou a necessidade de realizar a implantação das escolas nos municípios de Primavera do Leste e Campo Novo do Parecis. Ele encaminhou as reivindicações por meio das indicações de n.° 1.070/2021 e n.° 1.159/2020 ao Ministério da Educação (MEC) que é responsável pela iniciativa, em parceria com o Ministério da Defesa.

O parlamentar é um defensor do ensino militar. Ele considera essa linha educacional importante por pregar a disciplina, respeito ao próximo e amor à pátria. “Avalio que o método pedagógico de ensino militar não só prepara os alunos ao conhecimento, como, também, proporciona a disciplina não só no ambiente escolar, como no dia-a-dia do estudante. Sem contar que melhora bastante o desempenho escolar e promove o patriotismo entre eles”, diz Claudinei.

Critérios – Tanto o Distrito Federal, como os estados da Federação poderão ser beneficiados pelo Programa desde que as escolas interessadas obedeçam aos critérios determinados. Um deles é comprovar que a unidade escolar se encontra em situação de vulnerabilidade social e baixo desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) e ofereça os ensinos fundamental e médio com 500 a mil alunos nos dois turnos. Outras exigências são a obtenção de aprovação da comunidade escolar para a implantação do modelo, por meio de consulta pública. Os representantes das escolas também deverão manifestar interesse junto à Secretaria de Educação, que será responsável pela condução no processo de escolha.

Uma das características da proposta do Ministério da Educação e Cultura (MEC) é que será aplicado o conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa, com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares, cujo objetivo é melhorar o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas.

Municípios – No dia 16 março de 2020 foi realizada uma consulta pública em Campo Novo do Parecis que contou com a presença do deputado estadual Elizeu Nascimento (PSL) e do Delegado Claudinei, como integrantes da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Casa de Leis, representantes do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, profissionais da educação do município, entre outras autoridades.

“A gente vê que tem dado resultado essas escolas militares. Os alunos tiram boas notas, valorizam o seu país, demonstram o patriotismo, respeito as pessoas, como os pais e professores. Eu já participei da primeira formatura de alunos na Escola Militar Tiradentes de Rondonópolis, percebemos que vale a pena. Campo Novo do Parecis só tem a ganhar com essa metodologia de ensino, como outros municípios também”, afirma Claudinei.

Em relação a Primavera do Leste, no final de 2017, a gestão estadual do ex-governador Pedro Taques, havia anunciado a construção de uma escola modelo de gestão militar no município, mas as obras não foram concluídas. O prefeito, Leonardo Bortolin (MDB), chegou a apresentar o projeto da Escola Cívico-Militar ao MEC, em fevereiro de 2020, e a Câmara Municipal promoveu audiência pública, em dezembro do mesmo ano, para tratar sobre a viabilidade da implantação da unidade militar na cidade.

Decreto – O Decreto nº 9.665, de 2 de janeiro de 2020, prevê o modelo cívico-militar em escolas de todo o país. Essa lei, assinada pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), permite que escolas estaduais e municipais possam aplicar modelos de educação já seguidos em colégios militares do Exército, das polícias e Corpo de Bombeiros Militares.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Politica

Delegado Claudinei destaca atuação de índios brigadistas em incêndio na reserva Tadarimana

Publicados

em


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) destacou a atuação de indígenas brigadistas, no último sábado (31), no combate aos incêndios florestais ocorridos na Reserva Indígena Tadarimana, em Rondonópolis. A ação permitiu que os índios Bororo mantivessem o controle das queimadas até à chegada da corporação do 2° Comando Regional do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT) do município.

Com o projeto idealizado e executado pelo Corpo de Bombeiros, por meio de curso de capacitação para formação de brigada com duração de 40 horas aos indígenas, foi possível o êxito no combate ao fogo e, consequentemente, evitou maiores danos ambientais. “Com essa iniciativa do Corpo de Bombeiros Militar de Rondonópolis, foi possível apagar rapidamente esse incêndio para que não ocorresse em maiores proporções com o apoio dos índios brigadistas. É um projeto que pode ser aplicado em outros municípios. Os índios passam a ser importantes facilitadores no combate a incêndios florestais”, frisa Claudinei.

Reuniões – O parlamentar diz que já participou de três reuniões com os integrantes do Comitê de Gestão do Fogo para debater as necessidades e as ações preventivas de combate às queimadas na reserva indígena. “Na primeira (reunião), nos foi apresentado esse projeto piloto que prevê a capacitação e contratação de indígenas para atuarem como brigadistas no período de queimadas. Envolvem várias parcerias, como a Defesa Civil, a Gestão de Controle a Incêndios, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, entre outros. Eu entrei nessa parceria com uma emenda para adquirir os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para os índios atenderem ocorrências na aldeia”, explica.

A emenda parlamentar proposta por Claudinei é no valor de R$ 132 mil e beneficiará a instituição para a aquisição de equipamentos de prevenção, proteção, segurança, socorro e sobrevivência para realizar o apoio às atividades de combate a incêndios pelos indígenas. “Essa emenda é desse ano, agora é só aguardarmos o governo de Mato Grosso fazer a devida liberação e, assim, contribuirmos com esse trabalho, principalmente, nesse período de seca que ocorrem as queimadas. Infelizmente, ano passado, essa região foi bastante impactada”, comenta.

Prefeitura – O projeto do CBMMT chegou a ser encaminhado para a Prefeitura de Rondonópolis avaliar a possibilidade de firmar parceria, principalmente para a remuneração dos índios brigadistas, com atuação de julho a setembro de 2021, período de prevenção e prestação de atendimento. Os indígenas atuam na fase inicial dos incêndios florestais até a chegada da guarnição, cujo deslocamento chega a ser de aproximadamente 50 minutos até à aldeia.

“Infelizmente, o prefeito José Carlos do Pátio não quis participar dessa parceria e integração, não ia trazer tanto encargo financeiro para o município, pagando um salário mínimo aos índios por mês que compõe a equipe, mas infelizmente não quis. Mas não podemos desistir e continuaremos buscando alternativas. Parabenizo o Corpo de Bombeiros Militar e os índios brigadistas, mesmo não tendo esse aporte financeiro até o momento, estão empenhados e motivados para continuar os trabalhos”, salienta Claudinei.

Expectativas – Os resultados esperados com a implantação do projeto pela instituição envolvem a diminuição expressiva do número de focos de queimadas na reserva indígena, redução das emissões de poluentes para manter a qualidade do ar, a saúde dos índios sob controle e a preservação do meio ambiente.

Localização – A reserva indígena Tadarimana fica a uma distância de 40 km de Rondonópolis, sendo que possui cerca de 800 indígenas divididos em seis aldeias, com área de aproximadamente 10 mil hectares.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana