Cidades

Sine Municipal oferece 240 vagas com salário de até R$ 3,8 mil

Publicados

em

O Sine Municipal oferece 240 vagas de emprego nesta semana, algumas delas para Várzea Grande. As oportunidades são para todos os níveis de escolaridade. Os destaques são para mecânico de empilhadeira, com salário de R$ 3.800,00, mais vale transporte, ticket alimentação, assistência médica e odontológica e seguro de vida. Além disso, continuam disponíveis em Várzea Grande, 100 vagas para técnico em enfermagem, com salário de R$ 1.300,00, com vale transporte e alimentação. O atendimento está sendo realizado por meio de plataforma online, canais de acesso por telefone e presencialmente nas duas unidades do Sine Municipal: Coxipó e Shopping Popular.

Instalador de insulfilm, lavador de carros, mecânico de socorro, montador de automóveis, motofretista, nutricionista, operador de betoneira, pedreiro, motorista entregador, motorista de caminhão, pizzaiolo, serralheiro, técnico de obras, vendedor de serviços, vendedor pracista, supervisor de exploração agrícola, supervisor de carga e descarga, carpinteiro, auxiliar de manutenção predial e cozinheiro geral são algumas das vagas disponíveis na plataforma de empregos do Sine Municipal. Confira Aa tabela de vagas.

Neste momento de pandemia, a orientação é que, caso seja possível, o público opte pelo atendimento online ou por telefone. O objetivo é conectar o serviço público ao cidadão, solucionando dúvidas e oferecendo orientações para evitar que as pessoas deixem suas residências neste momento em que a Prefeitura de Cuiabá adota uma série de medidas que reforçam a importância do isolamento social.

Para quem deseja se candidatar a alguma das vagas disponíveis, basta baixar em seu celular o aplicativo “Sine Fácil” ou acessar a página virtual do Emprega Brasil (empregabrasil.mte.gov.br), ou se dirigir a uma das duas unidades do Sine no Coxipó ou no Shopping Popular. Quem necessita solicitar o seguro desemprego, o acesso é pela página virtual www.gov.br/trabalho ou pelo aplicativo “Carteira de Trabalho Digital”.

Além dos canais virtuais, quem necessitar de informações sobre seguro desemprego, e quadro de vagas, tirar suas dúvidas sobre intermediação de mão de obra ou carteira de trabalho e previdência social pode entrar em contato pelos telefones (65) 99255–2450 (WhatsApp) ou pelos números fixos, (65) 3645–7250 ou 3645–7251.

Os empregadores que desejarem anunciar suas vagas no Sine, podem entrar em contato pelos telefones (65) 3645–7216 / 7237, pelo whats (65) 99255–2450 ou pelo email [email protected]

 

Horários e canais de atendimento Sine Municipal de Cuiabá

O Sine Municipal está realizando atendimento presencial, mediante agendamento. Na unidade do Shopping Popular, o atendimento é das 9h às 17h, sem pausa para almoço. Já na unidade Coxipó, o funcionamento é das 8h às 17h, também sem pausa para almoço.

Atendimento ao trabalhador

Sine Shopping Popular: (65) 3664-1503 / 99251-7480

Sine Coxipó: (65) 3675-3113 / 99337-2799

Atendimento ao empregador

 (65) 3645-7216 / (65) 3645-7237

Whatsapp (65) 99255-2450

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Vereadores de VG buscam maior proximidade com a AL

Fabinho (DEM), pediu apoio para que a instalação do BRT comece por Várzea Grande, mesmo sem saber se o modal será instalado

Publicados

em

Da Redação

O presidente da Câmara Municipal de Várzea Grande, vereador Fabinho (DEM), esteve na Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (27), buscando apoio do parlamento estadual para resolver o imbróglio que envolve as discussões sobre o novo modal transportes que vai fazer a ligação entre Cuiabá e Várzea Grande.

No centro das discussões está a troca do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), com obras avançadas no seu primeiro trecho (VG, Porto, Cuiabá), pelo BRT, o ônibus articulado de transporte rápido que o governador Mauro Mendes quer para as duas cidades ao custo de R$ 400 milhões, segundo ele.

Na verdade, um estudo feito pelo Movimento Pró VLT mostra que a implantação do BRT consumiria R$ 1 bilhão. Além disso, argumenta o presidente do Movimento, Pró VLT, Vicente Vuolo, “a decisão não pode ser tomada de forma unilateral pelo governo.; é preciso ouvir prefeitos e a população das duas cidades”.

Fabinho pediu apoio do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), seu correligionário, para que ajude acelerar a implantação do BRT.

“Infelizmente, o VLT quebrou a Avenida da FEB, que é um dos cartões postais do nosso Estado. Quando alguma pessoa vem para Mato Grosso, por meio do Aeroporto, encontra uma avenida fantasma. Por isto, peço que iniciem a obra do BRT pelo nosso município. Precisamos dos Poderes Legislativo e Executivo Estadual trabalhando também por Várzea Grande”, disse.

Botelho que também é favorável ao BRT, assegurou apoio da Assembleia ao município em ações de infraestrutura, mas não garantiu que tomará parte nas discussões envolvendo o modal

“Temos que estar alinhados para atuarmos em conjunto em favor da população. Fabinho e os demais vereadores estão de parabéns por estarem aqui conversando conosco em busca de recursos e discutindo assuntos do município. Vamos trabalhar juntos em favor do meio ambiente, de infraestrutura, da cultura e de outros segmentos importantes.”

Participaram da reunião, os vereadores Gisa Barros (DEM), Pablo Pereira (DEM), Rosy Prado (DEM), Bruno Rios (PSB), Mauro da Saúde (PSB), Carlinho Figueiredo (Republicanos), Paulo Silva (Republicanos), Sargento Galibert (PSL), Enfermeiro Emerson (PP), Alessandro Moreira (PP), Professora Eucaris (MDB), Jero Neto (MDB), Sardinha (PTB), Joaquim Antunes (PSDB), Hilton Gusmão (PV) e Braz Jaciro (Pros).

Pela Assembleia, os deputados Professor Alan Kardec (PDT), Carlos Avalone (PSDB) e Wilson Santos (PSDB).

Continue lendo

Cidades

Avanço do coronavírus decreta novo toque de recolher em 27 cidades

Em 27 cidades de Mato Grosso as pessoas não podem circular das 22 horas às 5h da manhã

Publicados

em

Da Redação

O novo coronavírus já contaminou cerca de 210 mil pessoas em Mato Grosso. Os dados são da Secretária de Estado de Saúde, divulgados nesta terça-feira (26). Eles mostram que pelo menos 5 mil pessoas foram vítimas da doença. Na tentativa de paralisar a contaminação, ou de pelo menos reduzir o número de casos, 27 dos 141 municípios de Mato Grosso já decretaram toque de recolher este mês.

Os moradores não podem circular pelas cidades das 22h às 5h do dia seguinte. Apesar dos decretos serem individuais, seguem critérios parecidos: não valem para os órgãos de segurança, vigias noturnos, delivery, farmácias e drogarias de plantão, profissionais na área da saúde e funcionários de empresa privada que estejam trabalhando no período noturno.

Estado

O governo de Mato Grosso editou decreto com novas medidas para prevenção e avanço do contágio da Covid-19 proibindo, por 45 dias, a realização de eventos sociais, festas, shows, atividades em casas noturnas e confraternizações com mais de 100 pessoas em espaços privados ou públicos, “inclusive o uso de logradouros públicos, onde haja aglomeração e consumo de bebidas alcoólicas”.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (26), 210.567 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.019 óbitos. Nas últimas 24 horas, surgiram 1.563 novas confirmações com 26 mortes registradas. Segundo a SES, 7.696 pessoas estão em isolamento domiciliar e 196.826 recuperadas da doença.

Municípios com toque de recolher

Paranatinga, Glória D’ Oeste, Apiacás, Vila Bela da Santíssima Trindade, Água Boa, Santa Cruz do Xingu, Nova Monte Verde, Nova Olímp, ia, São José do Rio Claro, São José dos Quatro Marcos, Mirassol D’Oeste, Lambari D’Oeste, Juara, Nossa Senhora do Livramento. Aripuanã, Colíder, Cáceres, Indiavaí, Nova Bandeirantes, Nova Marilândia, Nova Ubiratã, Jangada, Arenápolis, Diamantino, Campos de Júlio, União do Sul, Alto Paraguai.

Continue lendo

Cidades

Gonçalo Antunes de Barros sai da mira do Gaeco em VG

O atual secretário municipal de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande era investigado por participação em esquema de fraude na prefeitura de VG

Publicados

em

Da Redação

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, que investiga esquema de fraude num contrato licitado pelo município de Várzea Grande, no valor R$ 10,5 milhões, durante a gestão do ex-prefeito Walace Guimarães (PV), em 2014, inocentou o atual secretário municipal de Assuntos Estratégicos, Gonçalo Aparecido de Barros, que à época respondia pela Secretario Municipal de Infraestrutura.

De acordo com o Gaeco, as irregularidades foram constatadas no pregão presencial 28/2013, estimado em R$ 10,5 milhões. O objetivo era a contratação de empresa do ramo da construção civil para readequação, manutenção e reforma dos prédios públicos do município, constante em julgamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). A empresa Carneiro Carvalho Construtora foi declarada vencedora da disputa.

A Operação Camaleão, deflagrada em 18 de novembro de 2014, cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, inclusive no gabinete do prefeito, ao descobrir que o esquema trouxe prejuízo de R$ 1 milhão aos cofres públicos com pagamento de propina. Gonçalo de Barros foi investigado e indiciado sob acusação de ter participado do crime, mas no decorrer das investigações o Ministério Público não encontrou provas concretas contra ele.

Agentes do Gaeco descobriram que a Carneiro Carvalho Construções era na verdade uma empresa de venda de sapatos que só mudou de ramo de atuação 6 meses antes de vencer a licitação para a realização de obras de recuperação de vias públicas.

Em setembro em 2014, o Tribunal de Contas do Estado já havia determinado a imediata suspensão do contrato por indícios de fraude na fase de habilitação técnica, desvio de finalidade na execução contratual, fraude na execução contratual em razão de possível superfaturamento nas medições (liquidação da despesa) entre outras irregularidades consideradas graves pelo órgão.

O Gaeco apontou a participação do ex-prefeito Walace Guimarães, do empresário José Henrique Carneiro Carvalho e seu pai, José Alves de Carvalho, o também empresário Mário Borges Junqueira, os engenheiros civis Cláudio Adalberto Salgado e Hércules de Paula Carvalho e do servidor público Raphael dos Santos Rondon, que é cunhado de José Carneiro.

Na esfera criminal, todos eles respondem pelos crimes de  corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, falsidade em documento público, uso de documento falso e estelionato qualificado.

 

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana