fbpx

Mato Grosso

Primeira-dama de Cuiabá é confirmada como pré-candidata ao governo de MT

Publicados

em

A primeira-dama de Cuiabá,  Márcia Pinheiro (PV) será candidata ao governo de Mato Grosso pela federação Brasil da Esperança formada pelo PV,PT e PCdoB. O nome dela foi definido na tarde desta quinta-feira (4) em reunião no Hotel D’Lucca, em Cuiabá pelo grupo que ainda agrega o PSD e PP.

 

O nome de Márcia Pinheiro era cotado para a disputa juntamente com o do senador Carlos Fávaro (PSD). Fávaro anunciou desistência na manhã de ontem (3) e a esposa do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) passou a ser a única opção considerada viável pelo grupo.

Na noite de quarta-feira, Márcia recebeu aval da família para a disputa após reunião que contou com a presença de Emanuel Pinheiro (MDB), dos filhos, o deputado federal Emanuelzinho (MDB) e o estudante de medicina Elvis Kuhn, além da sogra Maria Helena, e de sua mãe Bearriz da Rocha Kuhn.

Esse fato foi citado por Márcia Pinheiro na reunião política desta tarde. Ela agradeceu o apoio recebido pelo deputado estadual e presidente do PT em Mato Grosso, Valdir Barranco, ao deputado federal Neri Geller, pré-candidato ao Senado, vice-prefeito de Cuiabá José Roberto Stopa, que é presidente estadual do PV, e outros membros da federação.

Ela ainda leu uma carta onde externa os motivos que a levaram a aceitar o desafio de ser candidata ao Palácio Paiaguás. Veja abaixo.

 

Veja a carta na íntegra:

 

PORQUE ACEITEI DISPUTAR O GOVERNO DE MATO GROSSO ??

Sou pré-candidata ao governo do Mato Grosso. E por que aceitei tamanho desafio?

Porque o Mato Grosso pode e merece mais. Nosso estado precisa ter a chance de inverter prioridades, e a maior delas é melhorar a vida de quem mais precisa. Precisamos resgatar o olhar humanitário, que enxerga as relações de empatia como centrais em uma política de estado. Acolhimento, apoio, solidariedade. Mais do que palavras, são conceitos que devem nos ajudar a governar. E que nunca foram tão necessários em nosso estado, em nosso país.

 

Quando criança li uma frase em um dos livros da escola pública em que estudava com os seguintes dizeres: “Pra quem ama, qualquer sacrifício é alegria.”

De alguma forma essas palavras ecoaram em minha alma por toda minha vida. Durante a minha juventude, o meu casamento, o nascimento dos meus filhos, Emanuelzinho e Elvis, e por toda vida pública do Emanuel.

Aceitei disputar o governo do Mato Grosso porque nosso estado é feito de pessoas, e toda obra, grande ou pequena, só importa se for para elas. O presidente Lula já provou que quando a gente governa tendo a capacidade de sentir a dor do outro, todos os segmentos da sociedade saem ganhando. Ele provou que quando se coloca o pobre no orçamento o desenvolvimento econômico ganha força, e potencializa as ações sociais em um ciclo virtuoso. O resultado é que todos saem mais fortes. Queremos defender a produção e trabalhar dia e noite para fazer crescer nossa economia, mas dentro de uma gestão humanizada. Funciona. Está provado.

 

Sempre acreditei na doação, na entrega, no trabalho árduo, no esforço dedicado e amoroso. Sempre me entreguei por minha família e por aqueles a quem amo. Convivendo na vida pública, sempre trabalhando nas pautas em que acredito, e sei que valem a pena, aprendi que aquilo de melhor que quero para meus filhos e minha família, eu quero para os filhos e para as famílias de cada mato-grossense. E foi com esse sentimento que entrei de corpo e alma nos projetos em favor dos mais humildes em Cuiabá, lutando sempre por inclusão e justiça social.

 

Vejam o exemplo de Cuiabá. Hoje, somos um celeiro de projetos inovadores projetados essencialmente para cuidar de gente, da nossa gente. Revolucionamos o Simina, criamos o programa de auxílio aos órfãos do feminicídio, o Kit Escolar, SOS AVC, Qualifica, o Prato Cheio, Mulheres em Ação e tantos outros que até seria cansativo citar aqui. Mas são exemplos de que quando se sabe claramente aonde se quer chegar, dá para fazer muita coisa. A cada dia, provamos na prática que a ampliação dos investimentos no social não exclui o crescimento das obras de pedra e cal: nunca na nossa cidade avançamos tanto em tão pouco tempo com obras e ações de infraestrutura, lazer e mobilidade. Imagina esse modelo de gestão, social e desenvolvimentista, sendo realidade em todas as regiões do nosso estado. Sim, é possível, e na dimensão do governo estadual dá para fazer muito mais.

 

Aceitei o desafio de disputar o governo do Mato Grosso porque temos a responsabilidade de inaugurar um novo tempo, de mãos dadas com o povo. Um tempo sem ódio, sem incentivo ao preconceito e com muito mais prosperidade econômica para aqueles que nos últimos anos têm acumulado tantas perdas. Nosso país entrou de novo no mapa da fome, e infelizmente o Mato Grosso foi um de seus símbolos, com a famigerada imagem da fila dos ossinhos. Essa fila é o ícone maior desse governo insensível que está aí.

Não posso admitir, nem mais como mulher ou mãe, mas como ser humano que tem coração, que se diga que esses ossinhos são de qualidade. Nossa gente merece comida no prato, amor, acolhimento, dignidade, respeito.

 

Aceitei disputar o governo do Mato Grosso porque a história nos concede agora a oportunidade de somarmos a um presidente que nos ajudará a formar uma grande rede de proteção social. Porque quando o Mato Grosso se reencontrar com o Brasil, ninguém vai segurar nosso estado! Temos orgulho das nossas vocações econômicas e vamos seguir sendo um estado das oportunidades, mas com a diferença de fazer com que essas oportunidades cheguem a todos, especialmente àqueles que hoje estão esquecidos. Foi pensando assim que fizemos o Projeto Buscar, que ampliamos o programa de Cuidadores de Deficientes, que demos mais atenção aos idosos e àqueles que vivem nas ruas em situação de vulnerabilidade. É pensando assim que não paramos de trabalhar. Porque somos um só; e só vale crescer se for para todos.

 

Para isso, temos que avançar para um novo tempo marcado pelo diálogo, porque quando a gente ouve mais tem mais chance de acertar. Vamos eliminar da nossa gramática a palavra perseguição, inclusive aos nossos servidores, responsáveis por atender e entregar lá na ponta os serviços públicos para a população. E para que esses serviços melhorem a vida das pessoas precisamos de servidores públicos respeitados, valorizados e motivados. Nossa gente não é assim, nossa gente é de paz.

Como governadora de Mato Grosso assumo o compromisso de resgatar a dignidade e auto estima dos nossos servidores assegurando todos os seus direitos e conquistas, especialmente dos injustiçados aposentados e pensionistas.

 

Aceitei disputar o governo do Mato Grosso porque a pauta da inclusão social é impositiva, é um requisito desse novo Brasil. E se queremos que nosso país seja feliz de novo, temos que estar alinhados com essa agenda verdadeiramente progressista. Temos que assumir nosso lado. O lado do povo.

Nessa agenda que queremos construir não cabe defender covardia contra mulheres, ao contrário, temos que ser implacáveis contra os agressores. Nessa nova agenda não cabe privilegiar uma pequena panelinha de empresários em detrimento da vontade de maioria. Não cabe só pensar em impostos e taxação para acumular dinheiro nos cofres do estado, se ele não beneficia a população. Não adianta um Estado rico e um povo pobre. Não adianta só pensar no caixa, tem que pensar prioritariamente nas pessoas. Dinheiro é bom quando se transforma em obras. Obras que geram mais empregos. Dinheiro é bom quando vira mais programas sociais para levar bem-estar a quem tanto precisa.

 

Aceitei disputar o governo do Mato Grosso porque acreditamos firmemente que é possível inaugurar esse novo tempo, junto com o presidente Lula. Temos apoio em todas as cidades, em todas as regiões. E temos o vento da história soprando a nosso favor.

Vamos defender os nossos valores e nossos ideais. Para nós, “a grande obra é cuidar das pessoas”. Essa é nossa grande missão.

 

Conclamo para essa grande e histórica missão todas as guerreiras mulheres mato-grossenses. A voz feminina precisa ser representada. Lugar de mulher também é na política.

Mulher vota em mulher !!

Vamos juntas, por Mato Grosso e pelo Brasil !

Assessoria

 

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Poder Judiciário de Mato Grosso

Publicados

em

Foi suspensa a lei municipal de Sorriso (400 km ao norte de Cuiabá) que proibia a exigência de apresentação de comprovante de vacinação contra a Covid-19 para entrar em locais públicos e privados, por decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). 
 
Na ocasião, os desembargadores e desembargadoras julgaram uma liminar da Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a Lei Municipal nº 3.217, de 03 de março de 2022. No processo, o Município e a Câmara manifestaram que a pretensão de declarar a inconstitucionalidade não trará nenhum efeito prático, pois a Lei Estadual n.º 11.685/2022, vedou ao Poder Público a instituição de qualquer exigência de apresentação de comprovação de qualquer tipo de vacinação para acesso aos estabelecimentos públicos e privados no âmbito do estado.
 
Mas o relator do processo, desembargador Rui Ramos discordou das considerações e explicou que o cenário da saúde pública é de cuidado, diante de novas variantes do vírus ainda em circulação, inclusive em Mato Grosso.
 
Citando decisão do STF, o relator concluiu que “esse panorama atípico e dramático, que traz consigo efeitos deletérios e que extrapolam limites territoriais e requerem medidas amplas e coordenadas entre os entes federativos, confere substrato suficiente “para a descaracterização do interesse meramente local”.
 
Assim, a lei municipal ficou suspensa até a decisão sobre o mérito da ação direta de inconstitucionalidade.
 
Processo número: 1004313-38.2022.8.11.0000
 
Andhressa Barboza
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Judiciário promove oficinas socioeducativas com adolescentes do Pomeri

Publicados

em

Adolescentes que cumprem medida socioeducativa no Centro de Atendimento Socioeducativo de Cuiabá, conhecido como Pomeri, tiveram uma tarde diferente nessa terça-feira (16 de agosto) com atividades promovidas pelo Poder Judiciário de Mato Grosso.
 
Foram realizadas oficinas com 13 meninos e 7 meninas, separadamente, abordando dois eixos centrais: autoestima e empreendedorismo.
 
Os adolescentes participaram de dinâmicas que trabalharam valores, rotina, regras de convivência, importância de sorrir, de recomeçar projetos de vida, a olhar outro ser humano. Tudo isso de forma lúdica e humanizada.
 
“Foi muito bom para distrair a cabeça, se divertir. É muito ruim ficar preso”, afirma R.P.F.S., 16 anos. “Aprendi muita coisa, a trabalhar em grupo, prestar atenção no colega, ver a ideia deles, eles veem nossas ideias, é bom para arejar e não ficar só preso”, complementa G.S., 17 anos, que tem a intenção de empreender investindo em negócios no ramo de oficina de motos ou uma barbearia quando ganhar liberdade.
 
As oficinas foram conduzidas pela psicóloga Carla Queiroz, da Vara Especializada da Infância e Juventude de Várzea Grande, com o apoio de três estagiárias de Psicologia do Poder Judiciário.
 
“Estamos começando um projeto-piloto, trabalhando o empreendedorismo e questões relacionadas à autoestima. A proposta é sensibilizar esses jovens para que acreditem no potencial que eles já têm e desenvolvam habilidades para que possam empreender”, explica.
 
Oficinas de artesanato, culinária, danças étnicas, operacionalização de eventos e restauração de móveis serão ofertadas às adolescentes e aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, com a finalidade de promover capacitação, apoio técnico, oportunidades de emprego, geração de renda e inclusão social.
 
Os trabalhos acontecem de 16 de agosto a 23 de setembro, com a colaboração do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário de Mato Grosso (GMF-MT).
 
“A ideia desse projeto é mobilizar e conscientizar os jovens que estão recolhidos para que, quando saírem daqui, desenvolvam seu trabalho de forma criativa, até para sobreviverem e se manterem no mercado de trabalho”, pontua Lusanil Cruz, integrante do GMF.
 
Urias Avelino Dantas, diretor do Centro de Atendimento Socioeducativo de Cuiabá, ressalta que as oficinas podem trazer novas perspectivas de vida aos adolescentes. “Isso vai gerar uma expectativa melhor para eles, através dessas informações positivas e capacitações, para que possam melhorar sua condição. Isso gera um impacto muito grande, vem agregar e trazer melhora significante na vida deles”, frisa.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Imagem 1: foto horizontal colorida de um adolescente participando de dinâmica com uma estagiária. Ele está de costas para a câmera, usa camiseta verde onde está escrito Pomeri em letras nas cores roxa, verde e vermelha. A moça está de frente para ele, batendo palmas e sorrindo.
Imagem 2: foto horizontal colorida da psicóloga Carla. Ela é branca, tem cabelos castanhos presos, usa batom rosa e um vestido cáqui com os braços à mostra.
Imagem 3: foto horizontal colorida do diretor Urias concedendo entrevista. Ele está em pé, olha para a câmera, tem cabelos e olhos castanhos e veste uma camisa marrom onde está escrito “gestor” em preto.
 
Mylena Petrucelli
Coordenadoria de Comunicação do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Direito Visual: Participantes de curso irão elaborar produtos para eliminar o “juridiquês”

Publicados

em

A capacitação sobre Visual Law – o uso do Direito Visual e da linguagem de fácil compreensão – realizada pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio do Laboratório de Inovação (InovaJusMT), resultará três produtos: um modelo de decisão usando conceitos do Direito Visual; um manual de linguagem clara e direito visual; e ainda um glossário de termos jurídicos e sinônimos simplificados.
 
“Sabemos que o Sistema Jurídico tem uma linguagem técnica própria e queremos transformar esses textos em uma linguagem acessível. As pessoas precisam entender exatamente o que aconteceu no seu processo e o que que tem que fazer após essa decisão do magistrado”, explica a coordenadora do InovaJusMT, juíza Viviane Brito Ribeiro.
 
O Direito Visual é um conceito que uso de técnicas visuais e de linguagem para facilitar a comunicação nos documentos jurídicos como imagens, ícones, ilustrações, tabelas, mapas visuais, dentre outros elementos gráficos. “Outra saída é substituir algumas palavras que são técnicas por similares, por isso o glossário é interessante”, cita a magistrada.
 
A juíza explica que a proposta é criar um documento a parte da sentença tradicional, que respeita o formato exigido legalmente. “Vamos criar um outro documento com as mesmas informações, só que usando uma linguagem clara, para que qualquer pessoa que não tenha formação jurídica consiga entender a decisão”, resume.
 
Os três produtos serão elaborados durante um workshop ao final do curso, pelos 50 participantes da capacitação. As aulas da turma tiveram início dia 08 de agosto e a conclusão da capacitação está prevista para 22 deste mês. Todo material será disponibilizado para os magistrados, magistradas, servidores e servidoras que atuam nas nove unidades que farão parte do projeto piloto de Visual Law, servindo de referência para a elaboração dos novos documentos judiciais.
 
“Após as unidades pilotos usarem os materiais, indicarem melhorias, colocar em prática e conforme a aceitação da proposta, a ideia é ampliar para todo o Estado de Mato Grosso”, antecipa a coordenadora do InovaJusMT.
 
Participam do projeto piloto: Segunda Vara de Chapada dos Guimarães, Primeira Vara Cível de Campo Verde, Oitavo Juizado Especial Cível de Cuiabá, Primeira Vara de Família e Sucessões, Terceira Vara Cível (Feitos Gerais) de Cuiabá, Juizado Especial Criminal Unificado, Juizado Especial de Pontes e Lacerda, Vara Única de Feliz Natal e Juizado Especial Cível do Jardim Glória – Várzea Grande.
 
 
 
#Paratodosverem. Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Descrição de imagens: Foto horizontal colorida. A juíza Viviane Rebello está sentada à mesa na sala do InovaJus. Ela participa de um dos encontros da capacitação sobre Visual Law.
 
Alcione dos Anjos
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana