fbpx

Politica

Polícia investiga suspeitos de fraudarem cadastro para tomar mais de uma vacina contra a Covid de marcas diferentes em Cuiabá

Publicados

em

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor de Cuiabá (Decon), instaurou procedimentos investigatórios para apurar suspeitas de pessoas que teriam se cadastrado duas vezes para tomar vacinas das fabricantes Sinovac (Coronavac), Janssen e Pfizer contra o coronavírus (COVID-19), na campanha de vacinação em Cuiabá.

As investigações preliminares têm como alvo duas mulheres e um homem que teriam realizado novo cadastro para a vacinação, mesmo depois de já terem sido imunizados, e que tomaram vacinas de duas marcas distintas.

Os procedimentos para apurar os fatos foram instaurados após a Prefeitura Municipal de Cuiabá encaminhar documentos indicando que pessoas que foram imunizadas com as vacinas Coronavac e Janssen, fizeram um novo cadastro no site da campanha de vacinação e tomaram uma ou até as duas doses da vacina da Pfizer.

Os suspeitos serão ouvidos na Decon nos próximos dias, e durante os procedimentos, também serão reunidos documentos que forem entregues por eles e pelos órgãos públicos.

De acordo com o delegado da Decon, Rogério Ferreira, se comprovada a inserção de dados falsos no site disponibilizado pela Prefeitura Municipal de Cuiabá, de forma dolosa e injustificada, com o fim de infringir determinação do poder público destinada a impedir a propagação de doença contagiosa, os culpados podem responder por crime contra a saúde pública e por falsidade ideológica, com penas que somadas podem chegar aos seis anos de prisão e multa.

“Embora compreensível e correto que as pessoas busquem se proteger de todas as formas possíveis contra a COVID-19, é necessário entender que não há doses suficientes de vacina para todos e que a maioria da população ainda não está imunizada com duas doses, ou com a dose única, das vacinas disponíveis, não sendo correto que pessoas já imunizadas burlem os critérios estabelecidos para a devida vacinação, para tomar novamente vacina de uma marca diferente”, disse o delegado.

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Politica

Lúdio Cabral requer explicações do governador sobre dinheiro público gasto em festa no Salto das Nuvens, em Tangará da Serra

Publicados

em


Foto: Marcos Lopes

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) requereu ao governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e ao secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, informações e documentos sobre o apoio do governo estadual e o dinheiro público gasto na festa realizada na cachoeira Salto das Nuvens, em Tangará da Serra, na sexta-feira passada (15), no chamado “1º Encontro de Líderes e Empreendedores do Brasil”.

“Não haveria problema em realizar um seminário ou mesa-redonda para apresentar e debater o potencial de Mato Grosso para desenvolvimento econômico. Mas a informação que temos, de pessoas que estiveram no evento, é que o palestrante falou apenas 20 minutos, e o restante do tempo foi apenas festa. Uma festa milionária, um banquete regado a uísque, com show de cantores nacionais. A festa tem a marca do governo de Mato Grosso entre os apoiadores. O governo colocou dinheiro público nesse evento? Quanto de dinheiro público foi gasto com essa festa? São perguntas que fizemos no requerimento”, disse Lúdio.

No requerimento aprovado na sessão de quarta-feira (20), Lúdio Cabral busca ter acesso às planilhas detalhadas dos gastos feitos pelo governo estadual, além das cópias dos processos de contratos, convênios, ou termos assinados pelo governo, e detalhamento das ações do governo e do dinheiro público gasto para realizar o evento na cachoeira Salto das Nuvens.

“Mato Grosso tem 3,5 milhões de habitantes, dos quais 2 milhões estão inscritos no Cadastro Único da Assistência Social, em situação de insegurança alimentar, e 500 mil pessoas abaixo da linha de pobreza, passando fome. Não tem lógica o governo estadual gastar dinheiro com uma festa como essa. É um desrespeito com a população de Mato Grosso, que ainda sofre com a pandemia de covid-19. O estado com a pior gestão do país na pandemia, a maior taxa de mortalidade, quase 14 mil famílias em luto por conta da covid-19, e o governador fazendo uma festa milionária como essa?”, destacou Lúdio.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Politica

Vereadores criam frente parlamentar e pedem apoio de Botelho para investimentos

Publicados

em


Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

Municípios da região oeste deverão receber mais investimentos. É o que pretende os vereadores ao criarem a Frente Parlamentar da Região Oeste, composta por representantes de Comodoro, Sapezal, Campos de Júlio, Brasnorte, Conquista D’Oeste e Nova Lacerda. Nesta quinta-feira (21), a comitiva foi recebida pelo deputado Eduardo Botelho (DEM), na Primeira Secretaria, oportunidade em que solicitaram o intermédio do parlamentar estadual junto ao governo para ações que fomentem a agricultura familiar e regularização fundiária. Esses setores são amplamente defendidos por Botelho, que é presidente a Comissão de Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e Regularização Fundiária na Assembleia Legislativa.  

A vereadora Gleyscler Belussi (Podemos), presidente da Câmara Municipal de Comodoro, explicou que o apoio do deputado será fundamental para fortalecer o movimento e assegurar investimentos.  

“Queremos unir forças para sermos atendidos. Temos uma grande extensão da economia regional voltada à agricultura familiar. Vemos a dificuldade do poder público em atender as necessidades dessa categoria e a dificuldade de o governo do estado em fazer alguns programas chegarem à ponta. Não temos equipe técnica preparada para dar suporte aos nossos agricultores e, com isso, estamos vendo a agricultura familiar ser extinta, porque os grandes produtores compram as terras dos pequenos e vão transformando em grandes lavouras. Com isso, a dificuldade de alimento básico para chegar à mesa dos pequenos tem sido uma demanda muito grande, alguns já não têm mais agricultura familiar. Queremos provocar o poder público para dar o suporte necessário ao setor”, alertou a vereadora.

Para os integrantes da Frente Parlamentar da Região Oeste, a partir de agora, com o apoio, poderá acelerar a regularização fundiária também. “Botelho abriu as portas para que nossos municípios tenham acesso e possam regularizar as terras dos nossos agricultores rurais. Sabemos que com o título poderão fazer negócios em bancos, Pronaf e outras linhas de crédito, podendo investir nas suas propriedades, com isso o município ganha também”, acrescentou Belussi.  

Também agradeceu a receptividade o vereador Júlio Enoque Alencar, presidente da Câmara de Campos de Júlio (PSB). “Falamos sobre as demandas que temos. O deputado tem feito grande trabalho e viemos buscar esse apoio, pois precisamos melhorar a agricultura familiar. São pessoas que têm pequenas áreas, podem produzir mandioca, abacaxi na região que produz suínos e bovinos”.

“Falamos sobre agricultura familiar, obras no município e deixamos as portas abertas para atender essa frente parlamentar. Estamos fazendo um trabalho de regularização fundiária muito grande com o Intermat e o Incra. A comissão de agropecuária tem atuado muito para que avance essa regularização fundiária, com a previsão de entregarmos mais de 20 mil títulos definitivos até o final deste ano. E os vereadores nos solicitaram esse trabalho na região. Então, já vamos fazer uma reunião com técnicos para darmos seguimento e levantar essa questão na região”, garantiu Botelho.  

Também participaram os vereadores de Campos de Júlio, Lisiane Mendes, Valdeir Von Stin (Republicano); Alex dos Santos Araújo (PSC) e Antoninho Vanderlei Câmera (PDT), de  Comodoro.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Politica

“Aconteceu de tudo com ele e conseguiu ser reeleito”, disse Jaime sobre Emanuel

Publicados

em

O senador Jaime Campos (DEM) afirmou nesta sexta-feira (22) que o afastamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) não deverá prejudica-lo politicamente. Alvo da “Operação Capistrum”, o emedebista foi afastado do cargo na terça-feira (19) por irregularidades na contração temporária de 259 servidores por indicações políticas e irregularidades no pagamento do Prêmio Saúde.

Na avaliação de Jaime, Emanuel é “craque” em superar dificuldades. “Nunca é bom, qualquer fato como esse fere a autoestima da pessoa. Agora, se vai prejudicar politicamente acho que essa altura do campeonato ele não está nem muito preocupado com isso, está preocupado em retornar ao cargo. Nunca bom na política isso aí, mas o Emanuel Pinheiro acho que está bem vacinado depois de tudo que aconteceu com ele lá atrás, ainda conseguiu ganhar a eleição de todo mundo. Vamos respeitar, é um craque, tem prestígio”, disse em entrevista à rádio Capital FM.

A referência do democrata é sobre o “escândalo do paletó”, em que o prefeito, na época ainda deputado estadual, foi gravado recebendo dinheiro das mãos de Sílvio Correa, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa.

Jaime considerou ainda a decisão pelo afastamento do prefeito como ‘exagerada’ por parte da Justiça, já que na opinião dele, a contratação temporárias em órgãos públicos é algo rotineiro. “Eu acho que houve um certo exagero quando você afasta o prefeito da capital que acabou de ser eleito. Se não teve um critério técnico [nas contratações], não sei explicar, porque falam que foram indicações políticas. Se você é vereador, leva uma senhora ou senhor que é formado em enfermagem para ser contratado, não vejo nenhuma dificuldade. No país democrático tem as indicações políticas. Agora, se ele realmente foi afastado por isso, não sobra um prefeito no Brasil, nenhum governador, não sobra ninguém, principalmente nesse momento de pandemia. De qualquer forma nós temos que acatar a decisão judicial”.

Jaime ainda foi questionado se não seria irregular que boa parte das indicações para cargos na Saúde municipal tenha sido feita por “bilhetinhos”, porém, se esquivou de comentar, dizendo a resposta teria que ser dada por quem foi secretário da Pasta ou o próprio prefeito. “Quem tem que dar resposta são os secretários de Saúde ou o próprio prefeito da Capital.

Eu imagino que tenha critério. Na prefeitura de Várzea Grande, por exemplo, as pessoas que estão trabalhando a frente do combate à Covid estavam recebendo uma gratificação extra. Essas pessoas tinham direito até porque estavam correndo risco de vida. Agora, como é definido esse critério em Cuiabá, isso eu não sei. Essa questão de bilhetinho é cultural no Brasil. O vereador manda, o cabo eleitoral manda. Mas não há mais ambiente para esse tipo de política”, definiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana