fbpx

Polícia

Polícia Civil vai responsabilizar criminalmente todos os envolvidos em ameaças a escolas

Publicados

em

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil adotará medidas enérgicas em casos de ameaças em redes sociais a escolas no Estado de Mato Grosso. Todo infrator ou infratores e seus pais serão responsabilizados criminalmente pelas disseminações das promessas de ataques nas unidades de ensino, em qualquer município do Estado.

Também haverá cobrança de valores financeiros dos prejuízos gerados pela mobilização das forças de segurança, para apuração de fatos até então, todos averiguados como inverídicos, tratados pelos envolvidos como “brincadeira de mau gosto”. No entanto, na Segurança Pública são vistos com atos de ameaças e de apologia ao crime, passíveis de responsabilização criminal.

Os monitoramentos são realizados constantemente pela Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia (Gecat) e  a Gerência de Operações de Inteligência (GIP), ambas ligadas à Diretoria de Inteligência, visando à identificação dos membros dos grupos em que se notícia promessas de ataque em escola. O trabalho conta com apoio das delegacias de polícia dos locais com denúncias.

As notícias de atentados em escolas tomaram proporção, após a tragédia da escola Raul Brasil, em Suzano (SP),  em 13 de março de 2019. Em Mato Grosso, jovens encorajados pelas redes sociais passaram a espalhar mensagens de violência (áudios e texto) e ainda postagens com armas de fogo, mesmo que supostamente sem poder letal ou de brinquedos.

Na noite de domingo (15), as forças de segurança foram acionadas após imagens  serem espalhadas em grupos de Whatsapp, sobre um adolescente de 15 anos que postou em seu instagram fotos segurando uma arma de fogo (modelo airsoft), com legenda que insinuava como alvo um colégio particular, situado no bairro Centro Sul. O fato levou vários alunos e pais do colégio tradicional a acreditarem em um possível atentado.

Um procedimento foi instaurado na Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), para apurar o ato infracional cometido pelo adolescente, análogo ao crime de ameaça. O menor, o pai e a mãe serão ouvidos na unidade policial. O adolescente será responsabilizado pelo ato infracional.

“A população, ao tomar conhecimento desses tipos de fatos, precisa procurar antes de tudo à Polícia. Todas as denúncias estão sendo checadas e monitoradas pela Polícia Civil, através da Delegacia do Adolescente, junto com a Diretoria de Inteligência, com objetivo de evitar atos trágicos”, destacou a delegada titular da DEA, Anaíde Barros.

O diretor metropolitano da PJC, Douglas Turíbio, reforçou as providências no âmbito da Delegacia e outras medidas que serão tomadas em nível da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). “No sentido de levantar-mos as despesas para ressarcimento do Estado”, disse o diretor.

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polícia

Dois irmãos são assassinados a tiros em frente de residência em Barra do Garças

Publicados

em

Dois irmãos foram mortos a tiros no Bairro Novo Horizonte, em Barra do Garças (516 km de Cuiabá), nessa quinta-feira (5). De acordo com a Polícia Militar, testemunhas disseram que Jânio Rodrigues de França, de 37 anos, e Jalmin Rodrigues de França, de 36, estavam sentados na frente da casa de um deles, na rua JK, quando homens armados chegaram a pé, se aproximaram das vítimas e efetuaram os disparos.

Jânio e Jalmin ainda tentaram correr, cada um para um lado, mas não conseguiram fugir dos criminosos. Foram baleados e caíram no chão. Os suspeitos fugiram em seguida. Vizinhos dos irmãos ouviram os tiros e acionaram a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Quando os militares chegaram no local, os irmãos já estavam mortos.

Policiais Militares fizeram rondas pela região, mas os suspeitos ainda não foram encontrados. A Polícia Civil investiga o caso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

A pauladas: Homem que matou trabalhador rural é preso em Tabaporã

Publicados

em

O homem que matou o trabalhador rural Ronaldo Batista de Oliveira, de 46 anos, no município de Tabaporã, foi preso nesta quarta-feira (3) após ser localizado no distrito de União do Sul.

 

 

As investigações apontam que o crime aconteceu devido a uma discussão por causa de uma panela de comida. A propriedade rural onde o crime aconteceu está localizada a cerca de 35 quilômetros do centro de Tabaporã.

A vítima foi encontrada caída no chão, já sem vida, com lesões na cabeça e um pedaço de madeira próximo ao corpo.

Com base em investigações, o delegado de Tabaporã, Bruno Palmiro, representou pelo mandado de prisão preventiva do suspeito, que foi deferido pela Justiça.

 

Após deferimento da ordem judicial, os policiais realizaram diversas diligências para localizar o suspeito, descobrindo o seu paradeiro no distrito de União do Sul.

Diante da informação, os policiais de Tabaporã, com apoio das Delegacias de Sinop e Cláudia, diligenciaram até o distrito dando cumprimento ao mandado de prisão contra o foragido.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Operação prende líderes de quadrilha envolvida em golpes online

Publicados

em

Na manhã desta quarta-feira (3) a da 2° fase da Operação Miqueias foi deflagrada, a operação tem como objetivo desarticular uma quadrilha de estelionatários . Ao todo são 12 mandados de prisão preventiva, sendo que até o momento 9 já foram cumpridos. Os alvos seriam os líderes do esquema.

 

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 13 de abril, onde 21 mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça de São José do Rio Preto (SP). A quadrilha de Cuiabá e Várzea Grande chegou a fazer mais de 100 vítimas somente em São Paulo, apesar de agir em todo o território nacional.

 

Conforme a assessoria da Polícia Civil, as ordens judiciais são cumpridas na cidade de Cuiabá e Várzea Grande. Os trabalhos são coordenados pelo delegado de São José do Rio Preto, Renato Gomes Camacho, e pelo delegado Pablo Carneiro, da Delegacia de Estelionato de Cuiabá e contam com apoio de policiais da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e da Gerência de Operações Especiais (GOE).

 

Novos rumos

Nas investigações, foi identificado que os recebedores dos valores ilícitos estavam em Mato Grosso, sendo cumpridos mandados de busca e apreensão contra os alvos na primeira fase da operação.

 

Na ocasião, o cumprimento das ordens judiciais resultou na oitiva de suspeitos, telefones celulares e equipamentos eletrônicos apreendidos, além de uma prisão em flagrante por tráfico de drogas.

 

Com as apreensões realizadas foi possível trazer novas informações e provas à investigação, aprofundando as investigações e identificando uma grande organização criminosa, com repasse de valores escalonados, hierarquia, divisão de funções, atuando em um esquema criminoso que lesa muitas vítimas.

 

Diante dos levantamentos, chegou-se a novas figuras do esquema, sendo então identificados os possíveis chefes da organização criminosa, apontados como os destinatários finais dos valores angariados de forma ilícita.

 

 

 

Modo de ação

Conforme divulgado, o grupo praticava o crime nas modalidades “Golpe do WhatsApp” e golpes por meio de fraudes de anuncios em sites de compra e venda.

 

No primeiro, os criminosos criavam um perfil falso no aplicativo de troca de mensagens, utilizavam a foto de uma vítima e depois, enviavam mensagens para familiares e amigos pedindo dinheiro emprestado.

 

Já no segundo, a quadrilha procurava forjava anúncios no site de compra e venda, oferecendo automóveis, ludibriando compradores, até que o dinheiro seja depositado na conta dos criminosos, configurando o golpe logo em seguida.

 

Os valores arrecadados podem ultrapassar a casa de milhões de reais. A polícia ainda não conseguiu identificar esse montante e nem mesmo o número total de pessoas vítimas dos golpes. (Com assessoria)

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana