conecte-se conosco



Economia

Poço sem fundo

Publicado

Por meio de licitação, o governo do Estado contratou a empresa Oficina Engenheiros e Consultores Associado, para realizar estudo de consultoria independente sobre a viabilidade econômica do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ou dos chamados corredores de ônibus (BRT).

A empresa contratada irá receber R$ 464 mil para fazer atualização dos dados de demanda e da matriz origem e destino dos usuários do sistema de transporte coletivo, dimensionar a oferta, modelar a rede integrada de transporte da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá (RMVRC).

Além da empresa, uma comissão federal também está avaliando a possibilidade de retomada ou não das obras do VLT em Cuiabá e Várzea Grande e promete uma definição no início de 2020.

(informações Gazeta Digital e Diário de Cuiabá)

Leia mais:  Brasil cria 129 mil empregos formais e tem melhor abril em seis anos
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
Foto e arquivos de imagem
 
 
 
Arquivos de Áudio e Vídeo
 
 
 
Outros tipos de arquivos
 
 
 
  Se inscrever  
Notificação de

Economia

Receita libera R$ 14,8 mi para o MT no último lote de restituição do IR

Publicado

A Receita Federal lançou nesta segunda-feira (9), a consulta ao sétimo e último lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2019. Neste novo lote, cerca de 7 mil mato-grossenses serão beneficiados, o que totaliza a liberação de R$ 14,8 milhões para o Estado.

O valor será liberado na próxima segunda-feira (16). Para saber se teve a restituição liberada, o contribuinte debe acessar os canais de atendimento da Receita Federal. No país serão depositados R$ 700 milhões a 320,6 mil pessoas.

Cerca de 700 mil declarações de 2018 estão retidas na malha fina por inconsistências nas informações enviadas. Para saber se a declaração está retida na malha, os contribuintes podem acessar o site da Receita Federal e fazer a consulta por meio do Extrato de Processamento da DIRPF. Para acessar é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Inexistindo erro na declaração apresentada e estando de posse de todos os documentos comprobatórios, o contribuinte pode optar por aguardar intimação ou agendar pela internet uma data e local para apresentar os documentos e antecipar a análise de sua declaração pela Receita Federal.

Leia mais:  Governadores querem “ajuda mútua” para apoiar reforma da Previdência

 

(informações jornal A Gazeta)

 

Continue lendo

Economia

Etanol e gasolina estão mais caros

Publicado

Agora é a vez dos combustíveis assustarem os consumidores. Motoristas que abasteceram o veículo nesta segunda-feira (9) se depararam com preços ainda maiores que os vistos no sábado (7), quando a alta começou a ser percebida nos postos. O litro do etanol está sendo vendido na Capital por até R$ 2,87, alta de 8,7% sobre o preço médio praticado na semana de 1º a 7 de dezembro (R$ 2,64), e de 15,2% se comparado o valor do fim de novembro (R$ 2,49). A gasolina também ficou mais cara e o consumidor paga até R$ 4,77 pelo litro, alta de 5% e de 7%, na mesma base comparativa, segundo levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

 

Em nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Sindipetróleo/MT) afirma que os reajustes são consequência dos aumentos registrados nas distribuidoras. “Numa pesquisa rápida entre os revendedores, há relatos de aumento de 17 centavos de quarta para quinta-feira passada, por uma grande distribuidora atuante em Mato Grosso”.

Leia mais:  Governo é o maior inimigo da Previdência, diz presidente da comissão especial

 

Ainda conforme a entidade, entre os motivos que contribuíram para a alta nas bombas estão a alta do etanol nas usinas, produto misturado à gasolina, e do biodiesel, usado no óleo diesel, além da valorização do petróleo no mercado internacional. Tamanho aumento no preço do combustível obrigará o técnico agropecuário Carlos Henrique Ferreira, 25, a se mudar para Acorizal, onde trabalha. Ele sai de Cuiabá diariamente para trabalhar na cidade que fica a 62 km da Capital.

 

“Estou gastando cerca de R$ 1,5 mil com combustível. Tenho carro também mas só uso para sair com a família. Para trabalhar uso a moto, que é flex, mas que está gerando um custo muito elevado. Agora, com mais esse aumento, vou me mudar para Acorizal e voltar só no fim de semana para ficar com a família. Esse aumento vai gerar um impacto inicial de R$ 300 no orçamento”.

 

A administradora de empresas Fabyane Nagazawa, 36, gastava, em média, R$ 95 a cada vez que ia ao posto abastecer com etanol. Nesta segunda-feira gastou R$ 114. “Se você considerar 3 abastecimentos por mês são R$ 60 de diferença, o que daria para fazer a feira na semana. É um absurdo”.

Leia mais:  Governadores querem “ajuda mútua” para apoiar reforma da Previdência

 

O Sindipetróleo ressalta que o mercado é livre e competitivo em todos os segmentos, cabendo a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os reajustes ao consumidor.

 

Fonte: Gazeta Digital

Continue lendo

Economia

MT arrecadou cerca de R$ 33 bilhões em tributos, segundo ‘impostômetro’

Publicado

De acordo com o ‘impostômetro’, instalado na Avenida do CPA, em Cuiabá, Mato Grosso arrecadou de 1º de janeiro a 06 de dezembro deste ano, aproximadamente R$ 33.859 bilhões em tributos.

Uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, aponta que estado ocupa a 1ª colocação entre as 26 unidades federativas no quesito de maior imposto para instalação e a operação de micro ou pequena empresa. Mato Grosso tem uma alíquota de 8,62%.

De acordo com a Federação do Comércio (Fecomércio/MT), isso deixa o estado em desvantagens se comparado a outros estados e dificulta o investimento de pequenos empreendedores.

Ainda segundo a pesquisa do Sebrae, o Paraná apresenta a menor alíquota, com 4,66%. Se comparado aos demais estados da região Centro-Oeste, Mato Grosso continua com a maior alíquota.

Em Goiás, o percentual tributário é de 5,48%, no Distrito Federal e Mato Grosso do Sul, as alíquotas 6,30% e 6,32%, respectivamente.

Fonte: G1

Continue lendo

Política MT

Polícia

Mato Grosso

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana