Cidades

PM prende homem que matou cachorro e filhotes a pauladas em Aragarças

Publicados

em

Um crime covarde e que causou indignação na comunidade da cidade de Aragarças-GO na divisa com Mato Grosso. Um homem foi preso no final da tarde de quarta-feira (17/2) no setor Primavera, nos fundos do cemitério, após matar a pauladas um cachorro e filhotes.

O acusado, I.M.P. de 59 anos, teve um ataque de fúria segundo ele porque o cachorro teria comigo uma de suas galinhas na mini chácara que ele tem no setor e estaria corrigindo os animais. Vizinhos ouviram latidos e bramidos dos animais e acionaram a Polícia Militar.

Esse causou comoção na cidade destaca o major Ghiovanni, comandante da 4ª companhia de Aragarças, que parabenizou a atitude dos policiais que ao chegarem no local perceberam que o acusado estava com a mão suja de sangue e segurava um pedação de pau.

O acusado teria matado o cachorro, filhotes e durante esse ato, provavelmente no extinto natural de autodefesa, o cachorro mordeu o dono na perna. Logo abaixo tem fotos desta situação triste que aconteceu em Aragarças.

Foi perguntado a ele o que estava fazendo e o mesmo alegou que estava batendo em seus animais domésticos para corrigi-los, tendo em vista de que um deles teria matado uma de suas galinhas. Os policiais explicaram ao senhor que não poderia fazer isso e que seria crime de maus tratos.

O homem saiu para o fundo do quintal e os policiais pularam o muro entrando no quintal para confirmar o crime de maus tratos.

Foi visto que o autor, em meio as plantas, pegou algo e se direcionou para o fundo da propriedade, não conseguindo mais ser mantido o contato visual devido as várias vegetações do local. Diante disso, os policiais pularam o muro e iniciaram averiguação do local e foram vistas marcas de sangue no chão e nas folhas das plantações próximo ao muro que faz divisa com o cemitério local, sendo assim, um soldado subiu ao muro e ao verificar constatou o corpo de um animal sem vida e sangrando jogado ao pé do muro, momento em que, imediatamente, informou aos colegas.
Diante disso, o acusado percebeu que a PM tinha encontrado o corpo do animal recém matado e saiu correndo em direção à sua casa e pulou o muro, saindo no interior do cemitério. Em seguida, a PM conseguiu persegui-lo e prendê-lo.

Os policiais tiveram que colocar algemas e o senhor bastante exaltado dificultou o trabalho de prisão. Os policiais encontraram quatro corpos de filhotes de gato, cinco filhotes de cachorro e a mais um cachorro grande.

O acusado foi encaminhado ao hospital porque tinha um ferimento na perna. A polícia acredita que esse machucado foi durante o extinto do animal em se defender durante o ataque do dono.

IMP foi apresentado a autoridade policial e teve a prisão ratificada por maus tratos a animais e encaminhado a cadeia de Aragarças. Parabéns aos policiais que atuaram nessa ocorrência: os sargentos Bitencourt e Edimilson; cabo Maciel e soldado Teodoro.

 

*FONTE: Araguaia Noticia

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Fazendeiro constrói ponte e prejudica acesso à água em terra indígena chiquitana em MT

Publicados

em

Um fazendeiro que construiu uma ponte e acabou prejudicando o acesso à água sobre o Rio Tarumã, na região de Fortuna, na Terra Indígena Portal do Encantado, da etnia Chiquitana, no município de Porto Esperidião (MT), teve a prisão preventiva pedida pelo Ministério Público Federal (MPF).

O MPF pediu à Justiça Federal que condene Ivan Rogério Roma realizar a desobstrução do rio, por meio da retirada da ponte irregular, do desassoreamento e desaterramento da área, garantindo assim o retorno à normalidade do fluxo d’água, em favor das comunidades indígenas afetadas pela obra ilícita.

O G1 não localizou a defesa do fazendeiro.

Também pediu que a decisão seja cumprida no prazo de 15 dias, com multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento, e sanção de outras medidas coercitivas atípicas, como apreensão de passaporte e CNH, além de indisponibilidade de bens.

A ação teve como base o inquérito policial instaurado a partir de um pedido do MPF, após o recebimento de uma representação feita por diversas associações protetoras dos direitos indígenas.

A denúncia apresentava os danos ambientais ocasionados no Rio Tarumã, que acabaram privando o acesso à água nas comunidades indígenas chiquitanas, principalmente na aldeia Acorizal, tanto para pesca, quanto para banho e consumo.

Denúncia

Na representação, as entidades de proteção dos direitos indígenas denunciaram que a água do Rio Tarumã, além de suja, estava muito abaixo dos níveis considerados normais para os Chiquitanos, chegando a secar a jusante em algumas pontes na BR-265.

O Rio Tarumã, além de passar pela Terra Indígena Portal do Encantado, também atende a diversas comunidades bolivianas, pois adentra a Bolívia após sair da área dos chiquitanos.

A Polícia Militar recebeu uma denúncia de que o Rio Tarumã estava sendo poluído por fazendeiros da região próxima a nascente do rio.

Com base nas informações colhidas na Aldeia Acorizal, da etnia chiquitana, os militares se deslocaram pelas propriedades rurais próximas até chegarem na propriedade do fazendeiro, onde encontraram uma área desmatada ilegalmente, dentro da terra indígena, além do uso de fogo para supressão da floresta, aterramento de área de preservação permanente nas margens do Rio Tarumã e a construção irregular de uma ponte. Multa

Pelos danos causados ao meio ambiente e, principalmente por serem dentro de área indígena e área de preservação permanente, o proprietário da área foi multado em R$ 1.128.737,88 a ser pago à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA/MT).

O Parque Estadual Santa Bárbara é uma unidade de conservação estadual criada pela Lei do Estado do Mato Grosso de nº 7.165, de 23 de agosto de 1.999.

Continue lendo

Cidades

Veja quais cidades têm alerta de granizo no fim de semana

Publicados

em

O fim de semana será de muita chuva em quase todo o estado. Há alerta de vendaval, chuvas intensas e granizo em 66 cidades de Mato Grosso.

A chuva deve prevalecer durante todo o fim de semana em Cuiabá. Segundo o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), os termômetros marcam entre 23°C e 32°C nesta sexta-feira (5), 24°C a 31°C no sábado (6) e 25°C a 32°C no domingo (7).

Em Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte), a temperatura cai e chega a 18°C, com máxima de 29°C. Terá chuva todo o fim de semana.

A previsão de chuva segue também para Cáceres (225 km a Oeste) e os termômetros marcam entre 22°C e 31°C.

Em Sinop (500 km ao Norte), a temperatura varia entre 20°C e 33°C. Chove todos os dias na cidade.

O Cptec aponta um fim de semana chuvoso e com temperaturas entre 19°C e 29°C.

 

Confira cidades sob alerta
Acorizal
Alto Araguaia
Alto Garças
Alto Paraguai
Alto Taquari
Araguainha
Araputanga
Arenápolis
Barão de Melgaço
Barra do Bugres
Cáceres
Campo Novo do Parecis
Campos de Júlio
Campo Verde
Chapada dos Guimarães
Comodoro
Conquista D’Oeste
Cuiabá
Curvelândia
Denise
Diamantino
Dom Aquino
Figueirópolis D’Oeste
Glória D’Oeste
Guiratinga
Indiavaí
Itiquira
Jaciara
Jangada
Jauru
Juscimeira
Lambari D’Oeste
Mirassol D’Oeste
Nobres
Nortelândia
Nossa Senhora do Livramento
Nova Brasilândia
Nova Lacerda
Nova Marilândia
Nova Mutum
Nova Olímpia
Pedra Preta
Poconé
Ponte Branca
Pontes e Lacerda
Porto Esperidião
Porto Estrela
Poxoréo
Primavera do Leste
Reserva do Cabaçal
Rio Branco
Rondonópolis
Rosário Oeste
Salto do Céu
Santo Afonso
Santo Antônio do Leverger
São José do Povo
São José do Rio Claro
São José dos Quatro Marcos
São Pedro da Cipa
Sapezal
Tangará da Serra
Tesouro
Vale de São Domingos
Várzea Grande
Vila Bela da Santíssima Trindade

 

 

*FONTE:GAZETA DIGITAL

Continue lendo

Cidades

Mulher é presa em MT suspeita de matar marido quando ele dormia e enterrar corpo no quintal de casa

Publicados

em

Uma mulher de 36 anos foi presa suspeita de matar o marido dela, de 48 anos, enquanto ele estava dormindo, e enterrar o corpo dele no quintal de casa, em União do Sul (MT). Uma adolescente de 17 anos, que é filha de uma vizinha do casal, e um rapaz de 20 anos, também a ajudaram no crime e foram autuados, de acordo com a Polícia Civil.

Francisco da Silva, 48 anos, foi morto há duas semanas, mas o crime só foi descoberto depois e a a mulher foi presa nesta quinta-feira (4), porque a mulher compareceu à delegacia, acompanhada de um advogado, dizendo que queria confessar um crime.

“Ela relatou que depois de uma discussão com o marido e sustentou uma história de violência doméstica, que já havia se perpetuando há vários meses”, disse o delegado de Cláudia, Pablo Carneiro,

Segundo o delegado, ela disse que depois da briga, no dia 19 de fevereiro, ela passou a noite fora de casa e quando retornou para casa, no dia seguinte, houve outra discussão com o marido porque a polícia foi até o local para verificar denúncia de violência doméstica e a ameaçou com uma arma. Em seguida, ela disse que pegou uma arma e atirou na cabeça da vítima.

Contudo, durante a investigação, o delegado descobriu que a versão dela era falsa e ela acabou confessando que havia assassinado o marido ainda no dia 19, quando ele dormia.

“Ele confirmou que deu um tiro na cabeça dele quando ele já estava dormindo e depois arrumou alguém para cavar esse buraco nos fundos da casa, alegando que seria um tanque para peixes e combinou com a filha da vizinha e outro rapaz de 20 anos para que levassem o corpo até o buraco e tampassem”, contou o delegado.

O corpo foi enterrado em uma cova de aproximadamente 2 metros de profundidade.

Ela ainda colocou fogo na cama para tentar esconder o crime, já que havia sangue e odor.

Ela responderá por homicídio, ocultação do cadáver, e corrupção de menores.

A mulher contou com a ajuda de outras duas pessoas, de acordo com a polícia.

Um rapaz de 20 anos a ajudou a esconder o corpo e responderá por ocultação de cadáver, posse irregular de arma de fogo de uso permitido e corrupção de menores.

Com ele, a Polícia Civil encontrou a arma usada no crime e o celular da vítima, que foram dados pela suspeita como pagamento na empreitada criminosa.

Já uma adolescente, de 17 anos, foi autuado por ato infracional análogo ao crime de ocultação de cadáver, pois a ajudou a esconder o corpo.

*FONTE:G1

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana