Polícia

Justiça proíbe adolescente que matou Isabele de sair à noite e ingerir bebida alcoólica em Cuiabá

Publicados

em

Por unanimidade, os desembargadores da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso decidiram substituir a internação da adolescente de 15 anos, acusada de matar a amiga da mesma idade, Isabele Ramos Guimarães, em um condomínio de luxo de Cuiabá em julho deste ano, por medidas cautelares. O caso corre em segredo de Justiça.

A adolescente deverá recolher-se em casa no período noturno, fins de semana e nos dias de folga. Além disso, ela não pode fazer uso de substância alcoólica e similares.

Para a defesa da família da adolescente, “a decisão que confirmou o estado de liberdade da menor acompanha a robustez da prova que vem sendo produzida em seu favor na instrução processual. As circunstâncias que antecederam o trágico acidente estão devidamente comprovadas e a família confia na futura decisão que adequará os fatos a sua correta qualificação jurídica.”

O Ministério Público Estadual (MPE) apresentou alegações finais e se manifestou pela condenação da adolescente de 15 anos por ato infracional análogo ao crime de homicídio doloso, quando há intenção ou assume o risco de matar.

O pedido de internação seria pelo prazo de 6 meses, podendo chegar a três anos. A cada seis meses são feitas as verificações da conveniência da continuidade ou baixa da medida socioeducativa de internação.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê que menores que cometem atos infracionais análogos a crimes hediondos – como estupro e homicídio qualificado – sejam internados.

Os pais da adolescente que matou Isabele já são réus pelos crimes de homicídio culposo (quando não há intenção de matar), posse ilegal de arma de fogo, entrega de arma de fogo a pessoa menor, fraude processual e corrupção de menores.

O crime

Isabele Guimarães Ramos foi morta aos 14 anos na casa da amiga — Foto: Instagram/Reprodução

Isabele Guimarães Ramos foi morta aos 14 anos na casa da amiga — Foto: Instagram/Reprodução

Isabele morreu com um tiro no rosto em 12 de julho deste ano, em um condomínio de luxo de Cuiabá, onde morava a amiga, de 15 anos. O disparo foi feito pela adolescente, que, durante as investigações, alegou ter sido acidental.

Logo depois da morte de Isabele, a polícia ouviu a amiga da vítima. Ela alegou que subiu até o quarto dela, que fica no andar de cima do sobrado onde Isabele morreu, para guardar a arma do namorado. Isabele estava no banheiro do quarto nesse momento.

Segundo ela, uma das armas caiu no chão e a adolescente tentou pegar, mas se desequilibrou ao levantar e o objeto acabou disparando, quando ela estava do lado de fora de banheiro. No entanto, essa versão foi contestada por laudos periciais.

Para a polícia, a versão apresentada pela adolescente era incompatível com o que aconteceu no dia da morte e a conduta dela foi dolosa, porque, no mínimo, ela assumiu o risco de matar a vítima.

Além da adolescente, o namorado dela, de 16 anos, também foi indiciado por ato infracional análogo ao porte ilegal de arma de fogo, porque transitou armado sem autorização. Ele levou as armas para a casa da namorada, onde ocorreu o crime.

As armas eram do pai dele. Por causa disso, o pai dele também foi indiciado. Segundo a polícia, mesmo tendo alegado que não tinha conhecimento de que as armas tinham sido levadas pelo filho, ele foi indiciado por omissão de cautela na guarda de arma de fogo, já que teria obrigação de guardar as armas em local seguro.

Cena alterada

Isabele Guimarães — Foto: Reprodução / TV Globo

Para a polícia, o empresário pai da adolescente teve uma conduta que pode ter atrapalhado a investigação. “Quando a equipe do Samu chegou (na casa), havia apetrechos de armas em cima da mesa e ele pediu para que a mulher guardasse. Isso não poderia ter sido alterado”, disse o delegado Wagner Bassi, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que conduziu a investigação.

A cápsula da bala que atingiu a adolescente na cabeça também foi movimentada depois do crime pelo filho dele, que é irmão gêmeo da adolescente que atirou, o que pode ter atrapalhado a investigação.

Quatro policiais, sendo um delegado, dois investigadores da Polícia Civil, e um policial militar que foram até a casa depois do crime são investigados por improbidade administrativa.

Reconstituição

Reconstituição da morte de Isabele Ramos é realizada na casa onde adolescente morreu

Reconstituição da morte de Isabele Ramos é realizada na casa onde adolescente morreu

A reconstituição da morte de Isabele foi feita entre 18 e 19 de agosto, na casa da menina que atirouO processo durou sete horas, e a adolescente não participou. A defesa alegou que ela não estava em condições psicológicas.

A jovem que atirou foi representada por uma atriz que tinha estatura e pesos compatíveis.

Foram reproduzidos todos os movimentos realizados pelos envolvidos no caso para apontar a compatibilidade das versões apresentadas na investigação. A simulação foi feita com três disparos.

A reprodução também contou com um grupo de 41 profissionais entre investigadores, escrivães, delegados e peritos.

Reconstituição da morte de Isabele Ramos  — Foto: Polícia Civil

 

 

*FONTE:G1

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ação integrada prende grupo criminoso envolvido em roubo a fazenda em Brasnorte

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Uma ação policial desencadeada pelas delegacias de Brasnorte e Tapurah e apoio da Polícia Militar de Tapurah foi deflagrada neste sábado (16.01)  pela manhã para cumprimento de dois  mandados de prisão. Durante as diligências, uma mulher também foi presa em flagrante por tráfico de drogas.

Os policiais também apreenderam durante o cumprimento das prisões, ocorridas na cidade de Tapurah, um rádio comunicador, um notebook, uma balança de precisão e uma porção de cocaína e dinheiro.

Os suspeitos presos têm 19, 25 e 26 anos.

De acordo com o delegado de Tapurah Eugênio Rudy Junior, em 17 de novembro  do ano passado, um grupo criminoso invadiu uma fazenda, localizada no município de Brasnorte, e com uso de violência física roubou do local defensivos agrícolas, um veículo, joias e dinheiro das vítimas.

Após investigações que culminou na identificação dos envolvidos no roubo, o delegado de Brasnorte, Hugo Montenegro, representou à Justiça pelo mandado de prisão dos suspeitos.

O delegado de Tapurah destacou a ação integrada entre as delegacias para chegar à localização  e prisão dos envolvidos, que contou com apoio da delegacia do município, onde os envolvidos residem. “A união das forças de segurança resulta em ações como essa de hoje, com resposta sobre o crime cometido e a prisão dos responsáveis”, destacou o delegado Eugênio Rudy.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Polícia

Homem com 13 passagens criminais é preso em flagrante por receptação de veículo e associação criminosa

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Policiais da Delegacia Especializada de Roubo e Furtos de Veículos de Cuiabá (Derrfva) prenderam em flagrante nesta sexta-feira (15) um homem de 31 anos por associação criminosa e receptação de veículo roubado.

A prisão ocorreu em uma chácara na comunidade de Rio dos Peixes, localizada às margens da MT-251, município de Cuiabá.

O homem preso é investigado por se associar a uma organização criminosa que atua com furto e roubo de veículos, adulteração e comercialização de motocicletas de baixa cilindrada.

O investigado possui 13 passagens criminais por roubo majorado, furto e tráfico de drogas.Com ele, os policiais da Derrfa localizaram uma motocicleta modelo Honda Biz com sinais de adulteração no chassi.

Os investigadores chegaram à localização do suspeito após diligência para apurar  uma ocorrência registrada com o mesmo tipo de veículo que foi apreendido, contudo, se tratava supostamente de um veículo clonado. 

O suspeito foi conduzido à delegacia e autuado em flagrante por receptação e associação criminosa.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Polícia

Investigado por crime bárbaro no sul de MT é localizado cinco anos depois

Publicados

em


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Um homem investigado por um crime que chocou duas cidades no sul do estado foi preso nesta quinta-feira (14.01), em Primavera do Leste, após diversas diligências e informações compartilhadas entre a Delegacia de Guiratinga e a Delegacia de Roubos e Furtos de Primavera do Leste.

Na virada do ano de 2015, no município de Tesouro (379 km ao sul de Cuiabá) um casal de namorados estava comemorando as festividades de réveillon e próximo à ponte de um rio que passa pela cidade, os dois foram abordados e rendidos por um homem armado. O suspeito estuprou a mulher e, enquanto praticava o crime, ameaçou a outra vítima obrigando-a a presenciar a prática brutal.

Após cometer o abuso, o investigado seguiu com as vítimas no carro até a residência delas e obrigou o casal a dar dinheiro a ele. Depois os fez dirigir em direção à cidade de Guiratinga, onde pararam em um posto de combustível para abastecer o carro. No local, as vítimas aproveitaram a distração do suspeito para escapar, quando ele então fez três disparos causando pânico entre as pessoas que estavam no posto e fugiu em direção a Rondonópolis com o carro do casal.

Ao ser acionada, a Polícia Civil e a Militar iniciaram diligências para capturar o suspeito. Foram realizadas barreiras ao longo da rodovia, mas ele conseguiu escapar do cerco policial.

A Polícia Civil instaurou inquérito pelo estupro e roubo e desde então, a equipe continuou as diligências para identificar e localizar o fugitivo investigando locais onde ele poderia ter passado, após cometer os crimes nos municípios de Tesouro e Guiratinga.

Foi representada pela prisão preventiva, deferida pelo juízo da Comarca de Guiratinga.

Localização

No final do ano passado, os policiais obtiveram informação de que ele estaria escondido em uma área próxima ao anel viário, em Rondonópolis, onde praticava tráfico de drogas e trabalhava como vigia noturno. No local, policiais apreenderam 20 tabletes de maconha, pesando aproximadamente 14 quilos da droga. Com base nessas informações, a Polícia Civil continuou a monitorá-lo e nesta semana, o investigado foi localizado no bairro Primavera 3, em Primavera do Leste, onde a equipe da DERF fez a prisão.

Após a formalização do cumprimento do mandado judicial na delegacia, ele foi encaminhado à unidade prisional de Primavera e posteriormente seguirá para a Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis.

O criminoso será indiciado no inquérito instaurado pela Delegacia de Guiratinga por estupro e roubo qualificado e responderá em Rondonópolis pelo tráfico de drogas.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana