fbpx

Mato Grosso

Judiciário promove apresentação dos Círculos de Construção de Paz a educadores em Rondonópolis

Publicados

em

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da Comarca de Rondonópolis realizou apresentação dos Círculos de Construção de Paz para profissionais da educação, diretores e coordenadores pedagógicos de escolas. A iniciativa do juiz Wanderlei José dos Reis, coordenador do Centro, promoveu o encontro com facilitadoras do Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (Nugjur) no auditório da Diretoria Regional de Educação, em Rondonópolis, na quarta-feira (3 de agosto).
 
O objetivo foi difundir mais uma ferramenta de pacificação social promovida pelo Poder Judiciário mato-grossense, os Círculos de Construção de Paz, e, assim, tornarem-se facilitadores da prática, ou indicarem colaboradores para a missão de pacificação nas próprias unidades escolares.
 
O Círculo de Construção de Paz foi apresentado aos educadores atuantes na rede estadual de educação no município, visando à propagação da cultura da paz, do acolhimento e do diálogo, como forma de construir e reconstruir relações harmoniosas entre alunos e demais envolvidos no ambiente escolar.
 
No total, 51 pessoas (representando 24 escolas), divididas em duas turmas nos períodos matutino e vespertino (das 8h às 10h30 e das 14h às 16h30), acompanharam a apresentação da ferramenta de comunicação pelas facilitadoras Marina Soares Vital Borges e Laura Maria Coelho Lannes de Toledo Barros. O método permite resolver conflitos antes e depois que eles aconteçam, por meio de uma escuta afetiva entre os próprios participantes, que refletem sobre seus medos, receios, divergências, de maneira tolerante e sem julgamentos.
 
Aos educadores, também foi demonstrado que os círculos de construção de paz permitem não só o reconhecimento de problemas e entraves, mas também o resgate de valores e qualidades de cada indivíduo, de modo a solucionar problemas entre aqueles que estão em atrito e contribuir para harmonia do ambiente escolar, construindo relações saudáveis, que se propagam até o âmbito familiar.
 
De acordo com o juiz Wanderlei Reis, os Círculos de Construção de Paz já funcionam em Rondonópolis e são um sucesso. “O que precisamos fazer é difundir mais essa prática salutar com suas vantagens a todas as escolas. Daí que o objetivo da nossa iniciativa, em suma, é plantar uma semente, trazendo a apresentação das práticas restaurativas por facilitadoras do Tribunal de Justiça ao máximo possível de diretores e coordenadores pedagógicos de escolas, para que estes, ao terem contato inicial com a temática, venham a participar ou indicar profissionais das suas escolas com perfil adequado para participarem do curso de formação, a ser realizado a posteriori de forma presencial pelo Nugjur em Rondonópolis, sob nossa coordenação.”
 
“Assim, queremos multiplicar o número de facilitadores em todas as escolas, de tal maneira que as práticas restaurativas sejam disseminadas cada vez mais no âmbito escolar do município”, pontuou o magistrado.
 
A iniciativa foi bem recebida pelos dirigentes escolares, como destacou Ester Landvoigt da Silveira, Coordenadora Regional de Gestão Escolar e Rede. “Eu vejo o projeto como uma luz que vem clareando um caminho que a gente precisa percorrer. Quando a gente recebe algo maravilhoso, como essa ferramenta, então ficamos bastante animados. O Círculo vai nos auxiliar nas Escolas, teremos formação para os profissionais da educação e nós poderemos contribuir com a cultura do diálogo, que é algo que precisamos estabelecer em nossa sociedade. Com essa luz do Poder Judiciário, com certeza vamos avançar. ”
 
O diretor da Escola Estadual Militar Dom Pedro II – ‘André Antônio Maggi’, primeiro Tenente Wellington Fraga Pedroso, ressaltou que esse foi o seu primeiro contato com a técnica de pacificação social e que ela será muito útil nas escolas. “Nesse primeiro momento pude perceber que com o Círculo de Construção de Paz conseguimos compreender um pouco mais sobre o outro. Essa ferramenta é de extrema importância, para ser trabalhada tanto com os alunos dentro da sala de aula, para um melhor convívio e respeito entre eles, como com os próprios profissionais da educação.”
 
Vale destacar que os Círculos de Construção de Paz podem ser aplicados em comunidades, escolas, instituições públicas e privadas, contribuindo colaborando com a prevenção e solução de conflitos.
 
Participaram do evento os representantes das escolas estaduais: Adolfo Augusto de Moraes, Antônio Guimarães Balbino, Antônio José de Lima, Carlos Pereira Barbosa, Daniel Martins de Moura, Dom Winibaldo Talleur, José Rodrigues dos Santos, José Salmen Hanze, Lucas Pacheco de Camargo, Odorico Leocádio da Rosa, Pindorama, Professora Amélia de Oliveira Silva, Professor Domingos Aparecido dos Santos, Professora Eunice Souza dos Santos, Professora Maria Elza Ferreira Inácio, Professora Stela Maris Valeriano da Silva, Escola Militar Dom Pedro, Escola Militar Tiradentes, Professora Sebastiana Rodrigues de Souza, Ramiro Bernardo da Silva, Sagrado Coração de Jesus, Santo Antônio, São José Operário e Sete de Setembro.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Foto 1: Fotografia colorida do Círculo de Construção de Paz, com representantes das escolas sentados em volta, também em círculo, enquanto o juiz Wanderlei Reis, coordenador do Cejusc local, faz a abertura do evento se dirigindo aos participantes da reunião. Foto 02: Fotografia colorida do Círculo de Construção de Paz, com as plaquinhas e palavras utilizadas pela ferramenta. Ao centro da foto está uma girafa de pelúcia rosa, que representa o objeto de fala do método.
 
Marco Cappelletti (com informações do Cejusc Roo)
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Verde Novo distribui mudas e realiza palestra para servidores do plano MT Saúde

Publicados

em

Servidores e beneficiários do plano MT Saúde tiveram uma boa surpresa com uma ação do Projeto Verde Novo, do Poder Judiciário de Mato Grosso, que levou 200 mudas de plantas nativas e frutíferas para distribuição na sede da autarquia na manhã desta sexta-feira (12 de julho).
 
Além das mudas, também foi proferida palestra sobre arborização urbana, benefícios das árvores, vegetação e combate à poluição – cuja data de conscientização é marcada pelo dia 14 de agosto.
 
“A saúde com a natureza tem tudo a ver. Nós trabalhamos com a arborização urbana que traz benefícios para a saúde da população. Quanto mais árvores, menos poluição no ambiente, menos emissão de gases poluentes e menos gasto de energia, portanto, uma vida mais saudável que contribui para o meio ambiente”, explicou a palestrante Rosiani Carnaíba, engenheira florestal do Verde Novo.
 
A aposentada Vitória Lina dos Santos mora em uma chácara no Distrito Aguaçu e é beneficiária do MT Saúde. Ela foi resolver algumas pendências do seu plano e aproveitou para pegar mudas de ipê roxo e ipê branco.
 
“Moro em um sítio onde precisamos de árvores nativas para reflorestar, então é bem-vinda essa atitude da Justiça”, afirma.
 
Representando o MT Saúde, o chefe do Núcleo Estratégico de Gestão, Max Leão, ressaltou a importância de levar o tema ambiental para os servidores e o público do plano de saúde.
 
“Fantástica a iniciativa do Tribunal de Justiça com o MT Saúde em função da preservação do meio ambiente, conscientizando todos sobre a importância da manutenção do meio ambiente através do plantio de árvores. Meio ambiente traz saúde e saúde é qualidade de vida”, enfatizou.
 
Lucilene Milot pegou mudas para a mãe e para o irmão, que gostam muito de plantar várias espécies de frutas. “Estou levando acerola, goiaba e amora. Achei muito bom porque os animais agradecem se a gente plantar. Onde plantamos tem muitos macaquinhos que comem as frutas. Acho muito bom e lindo”.
 
Verde Novo – Um projeto do Poder Judiciário de Mato Grosso, idealizado pelo Juvam de Cuiabá, desenvolvido em cooperação técnica com o Município de Cuiabá e o Instituto Ação Verde e patrocinado pelo Grupo Petrópolis, responsável pela doação das mudas de árvores nativas e frutíferas. O projeto Verde Novo também conta com a parceria da TV Centro América e da Energisa, na divulgação.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Imagem 1: Foto horizontal colorida da aposentada Vitória escolhendo as mudas de árvore que vai levar. Ao lado dela está a engenheira Rosiani segurando outra muda, dentre várias que está dispostas ao lado direito. Ao fundo há um banner do MT Saúde e uma tela projetada onde está escrito Verde Novo.
Imagem 2: Foto horizontal colorida de Max abrindo a palestra. Ele está em pé, à frente, e o público está sentado em cadeiras azuis. Ao fundo há um banner do MT Saúde e uma tela projetada onde está escrito Verde Novo.
Imagem 3: Foto horizontal colorida de Lucilene segurando cinco mudas de árvores. Ela está ao lado da engenheira Rosiani e de frente para uma mesa com várias mudas. Há placas separadas onde está escrito ipê roxo, acerola e goiaba.
 
  
Mylena Petrucelli (Texto e fotos)
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Tribunal fixa pena de mais de 7 anos a assaltante que fingiu ser cliente de motorista de aplicativo

Publicados

em

Resultado de uma parceria inédita entre a Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis/MT), da Escola Superior da Advocacia (ESA/MT) e da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FESMP/MT), o evento jurídico “Pacote Anticrime – avanços ou retrocessos?” reuniu ministros, magistrados, membros do Ministério Público e advogados para discutir a lei e seus reflexos no direito brasileiro.
 
Durante dois dias de trabalho, 30 juristas, entre presidentes de mesa, palestrantes, mediadores e debatedores, se reuniram para discutir temas distintos em oito painéis. “A importância da uniformização de entendimento evita longos processos, uma duração irrazoável para julgamentos, uma permanência de dialéticas infrutíferas ou inúteis. E por isso que há uma preocupação com o sistema. Esse foi o nosso propósito”, assinalou o diretor-geral da Esmagis/MT, desembargador Marcos Machado.
 
Dentre os participantes, o ministro do Supremo Tribunal Federal André Mendonça destacou que houve avanços com o advento do Pacote Anticrime. “O importante é haver debate em alto nível e isso nos foi proporcionado nesse evento. E certamente não só eu como todos os que aqui estão e estiveram, eles trazem essas reflexões agora, para um amadurecimento e uma aplicação cada vez mais adequada. Esse é o papel da justiça no âmbito do sistema penal como um todo”, pontuou.
 
Já para o desembargador I’talo Mendes, do TRF 1ª Região, é muito difícil falar em avanços ou retrocessos. “O que há é, de fato, uma postura individual e uma postura ideológica sobre a forma de se ver o direito. Isso é muito bom porque o direito é feito de debate, o debate aperfeiçoa o direito. E é assim que nós construímos uma justiça melhor”, avaliou.
 
Para o diretor da ESA/MT, Giovane Santin, o saldo do encontro é completamente positivo. “Foi um evento grandioso, com debates de altíssimo nível, no sentido de trazer pensamentos diferentes sobre problemas tão complexos e que preocupam o sistema de justiça criminal.”
 
 
Lígia Saito
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Colíder informa resultado final de credenciamento na área de Serviço Social

Publicados

em

A Comarca de Colíder (a 650 km ao norte de Cuiabá) divulgou o Edital Nº 05/2022-CA, que informa o resultado final do processo seletivo para credenciamento de pessoas físicas na área de Serviço Social. O documento, disponibilizado no Diário da Justiça Eletrônico do dia 11 de agosto, está assinado pelo juiz Maurício Alexandre Ribeiro, diretor do Foro.
 
Conforme está expresso no documento, o(a) candidato(a) que pretender interpor recurso deverá apresenta-lo no prazo de dois dias, contados a partir da publicação do Edital Nº 05/2022-CA.
 
Os recursos devem estar devidamente fundamentados e deverão ser interpostos somente por meio do endereço eletrônico Protocolo Administrativo Virtual : http://pav.tjmt.jus.br.
 
 
Dani Cunha
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana