Polícia

Investigado em operação movimentou R$ 10 milhões na conta da filha, diz Polícia Federal

Avatar

Publicados

em

Polícia Federal deflagrou a Operação Ouro Sujo, na manhã desta terça-feira (2), com objetivo de investigar um grupo criminoso que movimentou até R$ 100 milhões em menos de 5 anos. O dinheiro é fruto da exploração ilegal de ouro em Mato Grosso. Um dos investigados usava a conta bancária da filha de 9 anos nas ações ilegais e movimentou quase R$ 10 milhões.

De acordo com as informações da Polícia Militar, são 5 mandados de busca e apreensão e 3 de prisão temporária expedidos pela Vara Federal de Cuiabá. As ordens estão sendo cumpridas em Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade.

Consta na investigação da PF que o grupo vinha atuando há mais de 5 anos e que nesse período de investigação, as movimentações financeiras dos suspeitos atingiram o valor de R$ 100 milhões de reais.

Um dos investigados, que não teve a identidade revelada, usava a conta bancária da filha, uma menina de 9 anos, para movimentar o dinheiro ilícito. Acredita-se que ele movimentou quase R$ 10 milhões em apenas dois anos.

Polícia Federal

Ouro sujo

Agora, a PF quer buscar novas provas para se aprofundar na investigação do caso e apreender também patrimônio adquirido por meio do crime. Foram sequestrados, por determinação judicial, carros, imóveis, bloqueios de contas e suspensão de uma empresa que atua como ‘instituição financeira clandestina’, em Pontes e Lacerda.

O nome da operação, Ouro Sujo, faz uma referência ao fato da extração e da comercialização do minério ocorrer de maneira ilegal, de forma clandestina.

*FONTE:GAZETA DIGITAL

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mais de 200 baterias furtadas de estações de telefonias são recuperadas pela Polícia Civil em depósito, na Capital

Avatar

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (DERF) recuperou na nesta terça-feira (13.04), 226 baterias estacionárias que foram furtadas de estações repetidoras de telefonia das empresas OI, Vivo, TIM e Claro. O material recuperado está avaliado em aproximadamente R$ 250 mil.

Conforme apuração da equipe da DERF Cuiabá, as baterias foram furtadas em diversos municípios do interior do estado e na região metropolitana de Cuiabá e foram localizadas em uma distribuidora de baterias localizadas na Capital.

O gerente de depósito foi preso em flagrante pelo crime de receptação qualificada e após procedimentos policiais na delegacia, foi encaminhado para audiência de custódia.

As baterias foram devidamente reconhecidas e devolvidas às empresas de telefonia. As investigações da DERF continuam para identificação dos autores dos furtos e pretensos receptadores.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil prende integrante de associação criminosa e recupera carga de soja avaliada em R$ 300 mil

Avatar

Publicados

em


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), prendeu em flagrante nesta terça-feira (13.04), mais um integrante de associação criminosa envolvida em desvios de cargas no estado de Mato Grosso.

A ação resultou na recuperação de uma carga de aproximadamente 85 toneladas de soja desviada avaliada em R$ 300 mil, além da apreensão de um trator, uma motocicleta e uma caminhonete de origem ilícita. 

As diligências iniciaram na segunda-feira (12) após os policiais da GCCO receberem informações anônimas sobre um caminhão com uma carga de soja em posto de combustível em Rondonópolis e que seria levado para o Distrito Industrial do município, para tratativa do destino do carregamento.

Com base nas informações, os policiais da GCCO  passaram a monitorar a movimentação no posto de combustível, ocasião em que viram alguns suspeitos chegando ao estabelecimento em duas caminhonetes e em um veículo Jeep Renegade.

Em determinado momento, um dos suspeitos entrou no caminhão e seguiu até o local indicado entrando com a carreta em um barracão. Os investigadores mantiveram vigilância do local e na manhã desta terça-feira (13) decidiram entrar no galpão, onde encontraram a carga de soja no chão (forma característica de desvio de carga), além uma pá carregadeira e outros objetos.

Questionado, o suspeito que estava no local disse que faz negócio com dois suspeitos (pai e filho) que têm a função de mandar a carga desviada para ele, e ainda mencionou uma terceira pessoa que seria responsável pela nota fiscal.

No escritório do suspeito, os policiais encontraram uma pistola .40 com dois carregadores, um com oito e outro com seis munições. No interior da caminhonete, foi apreendida uma maleta com mais dois carregadores de pistolas .380, com 17 munições.

No local, foram encontrados mais três suspeitos, entre eles, o responsável por descarregar os caminhões de soja, e outras duas que disseram estar no local para ver uma máquina de soja. Segundo o responsável pelo barracão, a carga avaliada em torno de R$ 300 mil foi comprada por R$ 160 mil e seria negociada.

Diante das evidências, o responsável pelo barracão e pela carga foi conduzido à Derf Rondonópolis, onde após ser interrogado pelo delegado João Paulo Praisner, foi autuado em flagrante por receptação, posse ilegal de arma de fogo e organização criminosa.

O inquérito policial será encaminhado para GCCO que dará continuidade às investigações com objetivo de desarticular a associação criminosa.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil encaminha 29 armas para destruição em São José dos Quatro Marcos

Avatar

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

 

Vinte e nove armas de fogo apreendidas em procedimentos policiais instaurados na Delegacia de São José dos Quatro Marcos (315 km a oeste de Cuiabá) foram entregues pela Polícia Civil, na segunda-feira (12.04), ao Exército Brasileiro para destruição.

As armas de fogo, sendo 15 espingardas, 10 revólveres e quatro pistolas, foram apreendidas em ações policiais e estavam relacionadas a inquéritos policiais antigos instaurados pela Polícia Civil.

 

De acordo com o delegado de São José dos Quatro Marcos, Edison Ricardo Pick, as armas e munições retornaram do Fórum em 2017, quando o Poder Judiciário deixou de receber armamentos e devolveu armas e munições de procedimentos que estavam em seu poder.

O armamento estava armazenado no cofre da unidade policial e foi encaminhado para destruição após representação do delegado.  A remessa de armas foi  entregue ao 2º Batalhão de Fronteira em Comando de Fronteira Juaru/ 66º Batalhão de Infantaria Motorizada, localizado no município de Cáceres. 

“O trabalho foi para destruição de todo armamento apreendido e que estava armazenado na delegacia foi iniciado em 2019 e está sendo finalizado agora devido aos trâmites necessários”, explicou o delegado.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana