Mato Grosso

Inimigo íntimo de Mauro pode disputar o Paiaguás

Publicados

em

O governador Mauro Mendes (DEM) poderá ter um “inimigo íntimo” nas próximas eleições. Burburinhos no Palácio Paiaguás apontam que seu vice, Otaviano Pivetta (PDT), pretende lançar sua pré-candidatura ao Governo do Estado em breve, antes do atual chefe do Executivo estadual anunciar que pretende disputar a reeleição.

A estratégia de Pivetta de anunciar seu nome para a disputa do Palácio Paiaguás em 2022 antes de Mauro Mendes sinalizar com a possibilidade de reeleição é a de evitar atritos com seu hoje aliado político e deixar o desgaste do rompimento para o atual governador.

Vale lembrar que Mauro Mendes não quis disputar a reeleição quando foi prefeito de Cuiabá, entre 2012 e 2015. Na ocasião, o hoje governador desistiu da disputa e pessoas próximas a ele apontam que a decisão se deu por conta dos insistentes pedidos de sua esposa, Virgínia Mendes, para que não disputasse o pleito novamente.

Outro burburinho existente nos corredores da política estadual é o de que o próprio Mauro Mendes veria com bons olhos a candidatura de Pivetta ao Paiaguás, deixando o caminho aberto ao atual governador para uma possível disputa ao Senado Federal. Falta apenas combinar com a população, que pode ter em 2022, um nome fortíssimo, como o do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, na disputa pelo Governo do Estado.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Mensagem da campanha “Quebre o ciclo” será difundida por caminhoneiros e caminhoneiras

Publicados

em


A campanha “A vida recomeça quando a violência termina: quebre o ciclo”, lançada esta semana pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, ganhou importantes parceiros que ajudarão a difundir a mensagem de que a Justiça estadual está ao lado das mulher vítimas de violência doméstica: os caminhoneiros e caminhoneiras que trafegam pelas estradas do Brasil. Isso será possível graças à parceria firmada com a Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso (ATC) e com o Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Rondonópolis e Região (SETCARR).
 
Segundo Miguel Antônio Mendes, diretor-executivo das duas entidades patronais, além do patrocínio de dois outdoors com a mensagem da campanha em Rondonópolis (219km a sudeste de Cuiabá), os profissionais poderão ter o veículo adesivado para levar a mensagem da campanha, servindo como uma espécie de ‘outdoor’ sobre rodas. Ele explica que o contato inicial foi feito pela Polícia Rodoviária Federal, outra parceira do Judiciário. “Eles acharam importante a nossa participação para a divulgação da campanha”, explica.
 
Conforme o diretor-executivo, todo o material produzido pelo Poder Judiciário, como as notícias do site e vídeos que já começaram a ser veiculados, estão sendo distribuídos nos grupos de WhatsApp dos associados, para que essa mensagem seja compartilhada com os caminhoneiros e caminhoneiras. “Nosso intuito é que homens e mulheres tomem consciência do problema, que muitas vezes ele está praticando sem perceber. Às vezes acha que é um comportamento normal. A partir do momento em que toma consciência de que está praticando violência doméstica contra a esposa, que essa evolução do ciclo regrida e não volte a acontecer.”
 
Para Miguel Mendes, a campanha “Quebre o ciclo” tem papel fundamental para a sociedade. “É de uma importância sem tamanho. Hoje o que temos de muito valor é a informação. Todos esses assuntos que estão sendo divulgados vão servir para que essa mulher vítima de violência tome consciência de que esse relacionamento que vive não é saudável, evitando que possa evoluir para algo ainda mais grave. Espero que desperte a consciência do casal, que promova o diálogo e a mensagem que eles devem ser respeitar, acima de tudo”, afirmou.
 
O diretor-executivo enalteceu a iniciativa do Judiciário mato-grossense, de encabeçar a campanha e levar informações para muitas mulheres que sofrem caladas, sem saber como reagir. “É importante que esse assunto venha à tona. Já divulgamos os primeiros materiais e até recebemos o áudio de uma pessoa que se emocionou. Acreditamos que o objetivo maior vai ser atingido: levar informação, para que haja diminuição desses índices de violência”, finalizou o parceiro.
 
É importante destacar que as empresas e instituições que apoiarem a campanha “Quebre o ciclo” receberão do Poder Judiciário Estadual um certificado com o “Selo Amigo da Mulher”. Além da ATC e do SETCARR, também já confirmaram apoio à iniciativa a empresa Rota D’Oeste, o Instituto Farmun e a empresa Rumo.
 
Confira abaixo as primeiras matérias e vídeos sobre a série especial:
 
 
 
 
 
 
 
Lígia Saito
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Continue lendo

Mato Grosso

Vara de Rondonópolis realiza evento para fortalecer Rede

Publicados

em


A Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar da Comarca de Rondonópolis, cuja titular é a juíza Maria Mazarelo Farias Pinto, promoverá um evento on-line em homenagem ao mês da mulher. Reunião da rede de garantia de direitos das mulheres vítimas de violência doméstica, será realizada às 14h do dia 14 de Março (com previsão de duas horas de duração), via Microsoft Teams. O objetivo é aprimorar a Rede de Enfrentamento.
 
O objetivo é conhecer melhor o trabalho de cada ator da rede, fortalecer e integrar os trabalhos e assegurar a garantia de direitos das vítimas, além de informar a sociedade. “Todos nós, enquanto sociedade devemos responder pelas nossas ações com os resultados que produzimos, sejam eles quais forem, contribuindo para as conquistas de valores imarcescíveis quando formos chamados, tal qual agora em tempos de pandemia“, disse a magistrada que liderará a ação.
 
Serão debatidas Políticas de Educação; Trabalho; Habitação; Saúde e Assistência Social. Participarão, além da Vara Especializada, Ministério Público e Defensoria, o Executivo e o Legislativo, representado pela Câmara de Vereadores. Ainda a Delegacia, os Conselhos da Mulher; Idoso e Criança e Adolescente. A Sociedade Civil será representada pelas Universidades; Associação de Mulheres Região Sul de MT e Pastoral da Mulher.
 
A promoção e organização são da Equipe Multidisciplinar e o do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). A programação prevê 15 minutos de fala para cada ator. Após a abertura; 14h15 se inicia a explanação da Delegacia Especializada; 14h30, Equipe multidisciplinar do Fórum; 14h45, Ambulatório Viva; 15h, magistrada e promotor; 15h15, Creas; às 15h30 será aberto espaço para discussões, trocas, perguntas e encerramento.
 
Ranniery Queiroz
Assessoria de imprensa CGJ-TJMT
(65) 3617-3069
 
 

Continue lendo

Mato Grosso

Quebre o Ciclo: aprenda a identificar os ciclos de violência contra a mulher

Publicados

em


Uma linha evolutiva da violência é traçada sempre que a mulher se vê dentro de uma relação abusiva. Dividida em quatro ciclos, é importante saber identificar cada um deles para poder pedir ajudar e resguarda a vida.
 
O ciclo 1 – Encantamento é a fase em que o homem é gentil e atencioso, mas começa a dar sinais da violência que está por vir. Aqui ele começa a afastar a mulher da família, das amigas e amigos, proíbe de usar determinados tipos de roupas e também começa a controlar as redes sociais. Muitas vezes, ela nem percebe que isso está acontecendo e pode até confundir com cuidado extremo. A situação se agrava dia após dia e tende a seguir à segunda fase.
 
O ciclo 2 – Aumento da Tensão pode até durar alguns dias ou até anos. Nesse período ocorre o aumento das discussões com ele se irritando por pequenas coisas, tendo acessos de raiva, sofrendo humilhações e até ameaças. A mulher tenta por várias vezes acalmar o companheiro evitando comportamentos que possam deixá-lo irritado. Muitas mulheres acreditam que o comportamento violento é por conta de algo errado que ela falou ou do dia no trabalho.
 
Já no ciclo 3 – Ato de Violência há a intensificação das agressões. A tensão acumulada da fase anterior faz com que o agressor tenha momentos de explosões de raiva e fique extremamente violento. Todas as ameaças sofridas nas duas fases anteriores se materializam nas cinco formas de violência doméstica: física, moral, psicológica, sexual e patrimonial.
 
Nesse período a mulher tem sofrimento intenso e mesmo sabendo que o agressor pode causar danos irreversíveis à sua vida, a mulher, normalmente, se mantém paralisada. Nessa fase ela começa a ter insônia, perda de peso, fadiga constante, ansiedade. Também passa a nutrir sentimentos de medo, solidão, piedade de si mesma, vergonha, confusão e dor.
 
Por fim, no Ciclo 4 – Arrependimento é o momento em que ele afirma estar com remorso e que tudo vai mudar porque ele irá melhorar. Ele se torna uma pessoa querida e amorosa para conseguir o perdão. Quando a mulher desculpa o agressor, um breve período de tranquilidade se estabelece na casa, então ela passa a acreditar nas promessas e estreita o vínculo de dependência com o agressor.
 
Passado algum tempo, com as dificuldades do dia a dia, a tensão volta e o ciclo de violência recomeça do segundo ponto. Ao passarem-se os anos o intervalo entre os quatro ciclos deixam de existir ou passam a não mais obedecer essa ordem.
 
Algumas mulheres vivem por anos nesse círculo e muitas nem conseguem encontrar uma saída. Uma parte dessas histórias só se finda por acabam por acontecer a morte da vítima.
 
É preciso mudar essa realidade e o Poder Judiciário está pronto para amparar a mulher vítima de violência doméstica e familiar com uma série de ferramentas como a Patrulha Maria da Penha e as medidas protetivas expedidas por juízes e juízas a fim de garantir a proteção mental e física da vítima.
 
Veja AQUI como soliciar uma medida protetiva.
 
Keila Maressa
Coordenadoria de Comunicação da Presdencia do TJMT
imprensa @tjmt.jus.br
 
 
 

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana