fbpx

Mato Grosso

Homem que matou irmão há 20 anos é preso pela Polícia Civil no interior de MT

Publicados

em

Um homem foragido da Justiça de Rondônia há mais de 20 anos por homicídio do próprio irmão teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil de Mato Grosso, na quinta-feira (29.07), em ação dos policiais das Delegacias de Porto Alegre do Norte e Canabrava do Norte.

O suspeito de 53 anos estava utilizando documento falso e quando foi abordado pelos policiais se negou se tratar da pessoa com mandado de prisão em aberto.

As diligências iniciaram após a equipe da Delegacia de Canabrava do Norte receber informações de que um homem com mandado de prisão em aberto estava trabalhando em uma construção na cidade de Canabrava do Norte.

Com base nas informações, as equipes policiais foram até o endereço mencionado, onde conseguiram localizar o suspeito que apresentou documento em nome de outra pessoa. Diante das dúvidas em relação ao documento apresentado, o suspeito foi conduzido à delegacia para identificação criminal.

Durante os trabalhos, foi solicitado apoio da equipe da Delegacia de Polícia e da Politec de Sinop que realizou o laudo de identificação datiloscópica do suspeito, confirmando se tratar da pessoa que estava foragida.

Segundo o delegado, Gustavo Espíndola, a todo momento o suspeito negava ser a pessoa procurada pela Justiça. “Foi uma prisão complicada, uma vez que ele se negava do começo ao fim, que se tratava da pessoa do mandado. Somente ao final de todas as checagens, ele resolveu confessar que era ele mesmo, assinando a ordem de prisão”, disse o delegado.

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Encontro nacional vai discutir Precedentes qualificados; inscrições até dia 22

Publicados

em


O Supremo Tribunal Federal com o apoio do Superior Tribunal de Justiça (STF) realizará o ‘III Encontro Nacional Sobre Precedentes Qualificados’, entre os dias 22 e 24 de setembro. O encontro será realizado pela plataforma Zoom, com retransmissão pelo canal do STF (https://www.youtube.com/user/STF) no YouTube, nos dias 22 (quarta-feira), das 8h às 11h; 23 (quinta-feira), das 8h às 10h30; e 24 (sexta-feira), das 8h às 10h30 e das 14h às 17h (horário de Mato Grosso).
 
Os ministros do STF Luiz Fux (presidente), Gilmar Mendes e Dias Toffoli participam do evento. Na ocasião, serão debatidos temas relevantes relativos à formação e à aplicação de precedentes qualificados, bem como sobre a gestão dos casos repetitivos e da repercussão geral. O evento é voltado para ministros, ministras, desembargadores, desembargadoras (presidentes, vice-presidentes, membros das Comissões Gestoras de Precedentes), juízes, juízas, servidores e integrantes dos Núcleos de Gerenciamento de Precedentes (Nugeps).
 
O encontro tem como objetivo ampliar a integração relacionada ao tema entre o STF, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Tribunal Superior do Trabalho (TST), os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), os Tribunais Regionais Federais (TRFs), os Tribunais de Justiça (TJs) e as Turmas Recursais dos Juizados.
 
Mais informações contatar a Secretaria de Gestão de Precedentes (SPR) e a Secretaria de Altos Estudos, Pesquisas e Gestão da Informação (SAE) do STF pelos e-mails [email protected] e [email protected]
 
As inscrições podem ser realizadas até o dia 22 de setembro (próxima quarta-feira), até as 8h (horário de Mato Grosso). Inscreva-se AQUI. 
 
  
Keila Maressa com informações do STJ
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Ouvidoria da Mulher do Judiciário é serviço à disposição das vítimas de violência doméstica

Publicados

em


Uma das iniciativas do Poder Judiciário de Mato Grosso voltada para a mulher em situação de violência é a criação da Ouvidoria da Mulher. Este é um canal especializado para o recebimento de denúncias, acompanhamento de processos em trâmite nas varas especializadas sobre o tema ou para informações, sugestões, orientações e encaminhamentos sobre qualquer violação de direitos associada à questão de gênero.
 
O canal de acesso facilitado pode ser utilizado por qualquer pessoa para denunciar crimes contra as mulheres e utilizar essa ferramenta por meio da página da Ouvidoria da Mulher, localizada no site do Tribunal de Justiça (confira AQUI) http://www.tjmt.jus.br/OutrasAreas/Ouvidoria , pelo ClikJud (acesse AQUI) https://clickjudapp.tjmt.jus.br/ouvidoria-mulher ou pelo e-mail: [email protected] 
 
A Justiça mato-grossense tem trabalhado para propagar informações sobre o enfrentamento da violência doméstica e familiar contra a mulher, a exemplo da importância da denúncia para quebrar o ciclo da violência, que muitas vezes leva ao feminicídio.
 
A Ouvidoria da Mulher é mais uma opção, conforme reforça a presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Maria Helena Póvoas, cuja gestão tem como uma das bandeiras a equidade de gênero e a luta contra a violência doméstica.
 
“Colocamos à disposição da população a Ouvidoria da Mulher para atender as questões relacionadas às mulheres que sofrem qualquer tipo de violência em seus lares. Não denunciar agressões é uma das formas de viver o ciclo da violência, por isso é de grande importância que as mulheres utilizem essa ferramenta. Mas não só elas, qualquer pessoa que tome conhecimento dos crimes podem denunciar e utilizar os serviços oferecidos para que possamos construir sociedade pautada na igualdade entre homens e mulheres”, salienta a presidente.
 
Após o recebimento de denúncias e reclamações a Ouvidoria da Mulher do Tribunal de Justiça irá proceder com os trâmites para o devido encaminhamento para os órgãos internos e externos competentes.
 
A Ouvidoria da Mulher foi criada em março deste ano por meio do Provimento n. 2/2021, aprovado por unanimidade pelo Conselho da Magistratura do TJMT.
 
Atribuições da Ouvidoria da Mulher – Receber informações, sugestões, reclamações, denúncias, críticas e elogios sobre as atividades do Poder Judiciário relativas à violência doméstica; receber reclamações referentes à falta ou à inadequação/morosidade dos atendimentos no âmbito do Poder Judiciário e diligenciar junto aos setores competentes; receber denúncias de violência doméstica ou de violação aos direitos da mulher e encaminhá-las aos órgãos competentes para que se proceda a devida apuração e informem para a interessada quais as providências adotadas e; promover campanha de sensibilização de violência doméstica contra a mulher e propor parcerias com as instituições envolvidas no enfrentamento à violência contra a mulher, para o aperfeiçoamento dos serviços prestados à sociedade nessa área.
 
Quebre o ciclo – O TJMT lançou em março deste ano a campanha ‘A vida recomeça quando a violência termina: quebre o ciclo’, para enfrentamento da violência doméstica contra a mulher. O fortalecimento de ações voltadas à violência contra a mulher é uma das seis diretrizes da atual gestão do Poder Judiciário de Mato Grosso (biênio 2021/2022). A iniciativa conta com várias instituições parceiras para difundir a mensagem sobre a importância do rompimento do ciclo da violência e suas fases.
 
Clique AQUI para ver o hotsite da campanha.
 
Confira matérias correlatas:
 
 
Dani Cunha
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Mais de 95% dos usuários estão satisfeitos com o atendimento da equipe de TI do judiciário

Publicados

em


O Índice de satisfação dos usuários dos sistemas de informática do Poder Judiciário de Mato Grosso ficou em 95,6% nesse ano. Os dados são da Coordenadoria de Tecnologia da Informação do Judiciário mato-grossense (CTI). Ao todo foram 111.572 atendimentos de janeiro a agosto de 2021, desse total 98,8% foram atendidos dentro do prazo.
 
O coordenador da CTI, Thomás Caetano parafraseou o escritor, consultor e considerado o pai da administração moderna, Peter Drucker, ao dizer ‘o que não pode ser medido, não pode ser gerenciado’. “Por isto é tão importante fazer a gestão com olhos atentos nos indicadores”, ponderou Thomás.
 
Dos atendimentos realizados 51.283 foram ligações telefônicas e 23.372 eram para sanar dúvidas sobre o Processo Judicial Eletrônico (PJe). Participaram da pesquisa 11.400 usuários sendo internos ou externos como advogados, defensores e membros do Ministério Público.
 
De acordo com a gerente de helpdesk, Ângela Franchini o trabalho só está sendo bem sucedido por conta das estratégias adotadas nesse período. “começamos um trabalho de formiguinhas, onde trabalhamos o lado motivacional da equipe, buscando a valorização de cada individuo, bem como a interação profissional de toda a equipe. Buscamos conhecer onde estavam os pontos falhos das equipes corrigindo-os, acompanhando os números diariamente, mostrando onde estavam as falhas, bem como também onde estavam os pontos positivos, comparando os períodos do mês, com o mês anterior, como chamados resolvidos com isso melhoramos bastante os nossos números”, explicou.
 
Além disso, foi desenvolvido o projeto para a avaliação final dos chamados, onde a meta inicial era ‘call-back’ (ligações de retorno) de 50% dos chamados resolvidos. Além disso, o script de atendimento evoluiu e 3 ligações são feitas ao usuário com intervalos de pelo menos 30 minutos. “Com essas ações estamos sempre buscando dar uma solução ou resposta ao usuário final e deixando claro que nos importamos com a sua opinião. Mostramos dia a dia a produção da equipe de call-back, bem como das demais, parabenizando a todos pelo empenho e dedicação”, concluiu Ângela.
 
Ulisses Lalio
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana