fbpx

Mato Grosso

Governo e iniciativa privada trabalham juntos para retomada da ZPE

Publicados

em

Um plano de negócio está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado e a iniciativa privada para atestar a viabilidade da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Cáceres. O objetivo é destravar definitivamente o projeto, que foi lançado em 1990, e é visto pela atual gestão como uma das ferramentas de combate ao empobrecimento da região Oeste.

No trabalho, realizado em parceria com a Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), constará quais são os investidores em potencial, quais os que podem ser captados a partir da vocação econômica dos municípios do entorno e ainda o que é necessário para atraí-los.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, explica que a obra é aguardada há mais de 20 anos e até hoje, sequer a área administrativa foi concluída. Ele estima que serão gastos mais R$ 60 milhões apenas na estrutura física, que inclui o fornecimento de água, eletricidade, captação e tratamento de esgoto e demais serviços essenciais.

Isso tudo, sem contar o trabalho de acessibilidade aos mercados por rodovias e pela hidrovia Paraguai-Paraná, bem como a definição de uma política de incentivos para a área. “Acho que estamos próximos de resolver a questão porque com um plano de negócio concreto, a demanda de recursos públicos e privados se mostrará pequena diante das possibilidades de lucro e expansão”.

Miranda pontua que foi realizada nesta semana uma reunião sobre o tema com a participação do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, o prefeito de Cáceres, Francis Maris, e o presidente da Fiemt, Gustavo Oliveira. “O governador foi claro. Quer que o projeto seja tocado de forma objetiva e sem sentimentalismo. Ele disse que o local não pode ser alvo de desperdício do dinheiro público e por isso, os empresários precisam participar do processo. Temos que trabalhar dentro de um projeto de desenvolvimento”.

Atual gestão quer resolver entraves e concluir obras que beneficiarão toda a região Oeste do Estado. (Foto: Rafaella Zanol/Secom MT, de agosto de 2017)

Sobre o prazo de conclusão, o secretário argumenta que não dá para estipular, mas que, atualmente, Fiemt e Governo possuem uma série de dados e informações para subsidiar o plano de negócios após serem compilados. 

No que diz respeito as empresas interessadas em investir, algumas já se apresentaram e até encaminharam cartas de intenções à Prefeitura de Cáceres. Outras fazem parte do sistema Fiemt e também são consideradas as que podem ser captadas para processar as matérias primas produzidas na região, como por exemplo carne e grãos.

Vizinhos de fronteira

Também está entre as vertentes do trabalho o estreitamento das relações comerciais com a Bolívia. Na semana passada, o embaixador do país vizinho no Brasil, José Kim, veio a Mato Grosso anunciar que o governo boliviano se interessa em vender energia elétrica para o Estado. A ideia deles é ampliar a produção da termoelétrica de San Matías, localizada a 110 km de Cáceres.

“Se for uma energia barata, pode se tornar mais um diferencial para as empresas da ZPE”, argumenta Miranda. Ele acredita que a aproximação pode trazer reflexos positivos na comercialização de outros produtos, entre eles o gás natural.

Atualmente, Mato Grosso tenta renovar o contrato de fornecimento com os bolivianos, que está prestes a vencer, e também com a empresa Gás Ocidente Mato Grosso (GOM), proprietária do gasoduto. O fornecimento está suspenso desde o ano passado porque a GOM não renovou o contrato de transporte, impasse que está próximo de uma solução porque as negociações foram retomadas.

Importância da hidrovia 

Paralelo aos encaminhamentos da ZPE, o Governo do Estado está trabalhando a retomada da navegação na Hidrovia Paraguai-Paraná. O secretário de Desenvolvimento Econômico esclarece que o governo do Estado encaminhou um oficio para a Secretaria Nacional dos Portos pedido a antecipação do processo de renovação da delegação do Porto de Morrinhos.

O contrato atual acaba em 2023 e quatro anos não é tempo suficiente para se oferecer o espaço para inciativa privada explorar, tendo em vista que será preciso fazer investimentos.

“Quando estiver funcionando, não será preciso passar pela área sinuosa do rio, o que trouxe desentendimento com os órgãos ambientais no passado. Desta vez, queremos fazer os encaminhamentos com a participação de todos atores envolvidos. Queremos que os órgãos de Meio Ambiente sejam consultivos e nos ajudem”.

Importante para Cáceres 

O prefeito de Cáceres, Francis Maris, afirma que está otimista com o projeto. Ele conta que a obra foi retomada em 2016, porém o governo do Estado, na época, anunciou que não tinha dinheiro para o investimento depois da conclusão da licitação. “Eu e os vereadores assumimos a responsabilidade desde então. Fizemos uma nova licitação pela Prefeitura. Mas, houve uma sequência de erros, que acreditamos serem obstáculos transpostos”.

Maris relembra que a empresa vencedora não entregou um projeto adequado. “Por exemplo, não há espaço para manobrar bitrens, porém este tipo de veículo será maioria lá”.

Depois deste transtorno, as obras ficaram paradas e este ano, o projeto está sendo reestruturado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra). “Quando estiver pronto, daremos sequência de onde parou”, diz Francis. 

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Jovens conservadores são as promessas política da baixada cuiabana

Publicados

em

Presentes em movimentos de rua, Guilherme Oliveira e Natalia Rodrigues geram grandes expectativas para 2024

Nos últimos anos o Brasil vem se tornando cada vez mais politizado, cidadãos atentos nos jornais televisivos e nas mídias digitais. Principalmente se tratando de avaliar o trabalho dos políticos eleitos, bem como analisar as possíveis projeções de novos nomes.

Na baixada não é diferente, principalmente no cenário político atual. Onde a população acompanhou a postura dos políticos frente a pandemia, recursos do governo federal destinados a Mato Grosso, impostos, STF, defesa, liberdade, entre outras verbas destinadas especialmente para a saúde e educação, área mais afetada e prejudicada ao longo dos anos e também muito citada em campanhas políticas..

Em 2022 muito se fala na ausência de um bom nome para governo do estado, bem como parlamentares federais e estaduais alinhados com os interesses do povo.

Mas o que chamou atenção foi que, por mais que o pleito de 2022 não envolva vereadores, dois nomes ganharam projeção e já estão sendo bastante citados nas redes sociais. Muitos apontam como a promessa conservadora da política na baixada cuiabana.

Guilherme Oliveira, de 21 anos, nascido em Cuiabá, Mato Grosso.

Um deles é Guilherme Oliveira, de 21 anos, nascido em Cuiabá, Mato Grosso. O jovem graduado em gestão pública vem de família de militares estaduais. Conservador, recebeu no aeroporto em 2017 o então deputado federal na época, Jair Bolsonaro, e de lá para cá o jovem faz frente em movimentos de rua. Seja em 2018 na campanha de Jair Bolsonaro para presidente, bem como em movimentos e atos de apoio a determinadas pautas, como a reforma da previdência e o 7 de setembro pela liberdade. Criou a comissão do concurso da PMMT e BMMT, faz parte do movimento Direita Mato Grosso, presente em eventos do agro, como o 16º Aprosoja, faz publicações defendendo a posse de arma para o cidadão de bem, conversa com as pessoas nas ruas e nas redes sobre políticas públicas para capital Cuiabá e da ênfase na pauta da liberdade. Seu avô fez parte do PDS, partido extinto que foi o primeiro em Mato Grosso a defender o conservadorismo e o liberalismo econômico. Hoje o jovem segue dando continuidade no legado da família, defendendo pautas que o avô defendeu e que hoje o Presidente Jair Bolsonaro defende.

Natalia Rodrigues, 25 anos, nascida em Várzea Grande, Mato Grosso. 

O outro nome é de Natalia Rodrigues, 25 anos, nascida em Várzea Grande, Mato Grosso. Conservadora, a jovem formada em arquitetura e urbanismo apoia o Presidente Jair Bolsonaro desde sua candidatura em 2018, movimentou um grupo de apoiadores do presidente para o ato do 07 de setembro do ano passado (2021) e idealizou um grupo de jovens de direita que debate sobre política, com intuito de influenciar os jovens a se envolver e mostrá-los a importância da necessidade de ter um posicionamento político. Ela defende a família, faz o enfrentamento contra a doutrinação ideológica e tem forte presença nos bastidores da política.

A dupla vem ganhando força na baixada, sendo cogitados a vereadores de suas respectivas cidades, muitos citam como uma promessa conservadora. A projeção de ambos vem gerando grandes expectativas. Para alguns já dão ar de esperança, para os mais pragmáticos, ainda querem observar mais as futuras posturas e posicionamentos dos jovens.

Em 2022 a política brasileira promete, mas para quem gosta de futuro, em 2024 promete ainda mais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

PSD oficializa candidatos para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa em Mato Grosso

Publicados

em

O Partido Social Democrático de Mato Grosso (PSD-MT) definiu suas chapas a deputado estadual e federal para as eleições deste ano. A homologação dos candidatos ocorreu na noite desta sexta-feira (5), durante convenção da sigla, em Cuiabá. Ao todo, o partido terá 28 candidatos, sendo 9 à Câmara dos Deputados e 20 à Assembleia Legislativa, assegurando a participação feminina na disputa eleitoral.

Além da homologação das chapas, os convencionais do PSD decidiram, por maioria, pela coligação do partido com o grupo composto pela Federação Brasil da Esperança (PV, PT e PC do B), além do Progressistas. O grupo conta com as candidaturas de Márcia Pinheiro (PV) ao governo e Neri Geller (PP) ao Senado. A exemplo do que ocorreu para a eleição presidencial, os candidatos e filiados terão a liberdade de apoiar qualquer candidato nas disputas majoritárias.

Presidente estadual do PSD, o senador Carlos Fávaro ressaltou o caráter democrático da decisão, que conseguiu contemplar os desejos de todos os filiados. “O PSD é feito destas pessoas, que todos os dias levam nossos ideais e conectam nossas decisões com os anseios da população. Na política é preciso ter lado, e o nosso lado sempre será o da população. Sairemos vitoriosos desta disputa”, afirmou.

Fávaro pontuou que, além disso, a resolução respeita a coerência da construção política iniciada ainda em 2020, depois da eleição suplementar para o Senado. “A convenção marca mais uma etapa na construção de um projeto que nós trabalhamos muito aqui em Mato Grosso, a candidatura do Neri Geller. Fizemos o Avança Mato Grosso, discutimos os avanços que defendemos para o estado e com esta proposta seguiremos com ele e com Márcia Pinheiro governadora, dando o direito de cada filiado ter sua liberdade para escolher o seu representante”, pontuou.

Para a chapa de candidatos a deputado federal, foram escolhidos a ex-reitora da Unemat, Ana Di Renzo; a ex-prefeita de Castanheira, Mabel Melanezi; a ex-vereadora por Poconé, Camila Silva; o advogado Irajá Lacerda; os ex-deputados estaduais Gilmar Fabris e Pedro Satélite; o ex-prefeito de Água Boa, Maurão; o vereador de Lucas do Rio Verde, Márcio Albieri; e o ex-vereador de Primavera do Leste, Paulo Márcio.

Já a chapa de candidatos a deputado estadual conta com os parlamentares Dr. Gimenez, Nininho e Wilson Santos. Além deles, o ex-vereador por Cuiabá, Toninho de Souza, o vereador da Capital, Pastor Jeferson; o ex-prefeito de Confresa, Gaspar; o vice-prefeito de Barra do Garças, Professor Sivirino; o vereador de Colíder, Rica Matos; além de Zize, Alex Rabelo, Josane Dias, Josielle Sampaio, Jucelma Oliveira, Marquinnhos, Jileine Ferreira, Stéfano do Carmo, Reck Junior, Professora Rosinha, Itami Siravegna e Viviane Ribeiro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Ex-secretário é anunciado por Federação como vice de Márcia Pinheiro e ex-reitora da UFMT como 1ª suplente de Neri

Publicados

em

Finalizada as convenções partidárias, a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdo B) em Mato Grosso, vem a público informar que fechou coligação majoritária com PP, PSD e Solidariedade, Essa ampla coligação tem como candidata a governadora a primeira-dama de Cuiabá Márcia Pinheiro (PV) e vice-governador, o ex-secretário de Obras e de Serviços Urbanos de Cuiabá, Vanderlúcio Rodrigues (PP).

O candidato ao Senado é Neri Geller (PP), tendo como primeira suplente, a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Neder (PCdoB) e segundo suplente, o ex-vice-prefeito de Juína, Luiz Brás (PT).

A Federação Brasil da Esperança também homologou chapa completa para a Câmara dos Deputados e 22 candidaturas à Assembleia Legislativa. “Conseguimos formar um arco de aliança forte com a vinda do PP, PSD e Solidariedade, para construir a vitória de Lula à presidência da República, de Márcia Pinheiro ao governo, Neri ao Senado e a eleição dos nossos deputados federais e estaduais. Vamos todos juntos reconstruir o Brasil e Mato Grosso”, afirmou o presidente da Federação, deputado estadual Valdir Barranco.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana