LAMBARI D'OESTE

Cana transformou Lambari D’Oeste

Publicado

Mato Grosso

Lambari D’Oeste integra o núcleo de cidades surgidas na faixa de fronteira, com os fluxos de colonos que para lá se transferiram, sobretudo nos anos 1970.

A vila situada à margem da MT-170, e que se transformou na cidade começou na década de 1960, a exemplo de seus vizinhos Rio Branco, Salto do Céu e Panorama. Mineiros, capixabas, goianos, paulistas e nordestinos compunham as primeiras levas de novos habitantes daquela região e, em sua maioria, eram colonos ou criadores de gado.

O nome Lambari D’Oeste surgiu de maneira natural, quando no começo dos anos 1960, época em que a Gleba Cerejeira – a primeira denominação do lugar – recebia seus pioneiros. Um desses pioneiros, LuizVitorazzi, ao se deparar com grandes cardumes de lambaris num córrego que banha a área e, ainda sem denominação, não titubeou: o batizou por ribeirão Lambari. Daí o nome. Quem se referia àquele núcleo urbano dizia: “Lá no Lambari”.

Cana impulsiona Lambari

O solo fértil foi decisivo para a consolidação da vila que atendia os moradores na zona rural daquela região, que não tinha energia elétrica, acesso rodoviário pavimentado, nem hospital.

Com a massificação do álcool como combustível para veículos automotores, várias destilarias foram instaladas em Mato Grosso, nas décadas de 1970 e 1980. Lambari foi incluído ao rol dos municípios que sediam essas grandes unidades agroindustriais e, em seu território, foi montada a Destilaria Cooperb, rebatizada Novo Milênio I e, hoje, o principal sustentáculo da economia, além de gerar 800 empregos para a população de 6.186 habitantes do município, que tem 1.765,077 km², Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,627 numa escala de zero a um e renda per capita de R$ 37.265,80.

A lavoura canavieira e sua agroindustrialização mudaram o perfil econômico do município, que embora não tenha perdido força enquanto centro pecuário, se transformou em polo de produção de etanol lançando anualmente no mercado 87 milhões de litros desse combustível limpo. Essa produção exige a moagem de 1 milhão de toneladas de cana-de-açúcar.

Lambari não tem atividades culturais expressivas, porém, celebra festas religiosas para seu padroeiro católico, São José Operário, e promove anualmente a Festa do Peão. Parte da cidade é pavimentada, todos os municípios recebem água tratada e o padrão residencial é bom.

INSTITUCIONAL – Lambari é a forma reduzida como é chamado o município, cujo nome é Lambari D’Oeste, e que lhe foi dado quando de sua emancipação de Cáceres e Rio Branco, em 20 de dezembro de 1991, por uma lei do deputado José Lacerda sancionada pelo governador Jayme Campos.

O município pertence à comarca de Rio Branco e dista 320 quilômetros de Cuiabá por rodovia pavimentada.

Terra de oportunidades

 

Dandan, de canavieiro a prefeito

Josivan Madeiros era um jovem trabalhador e sonhador. Filho de pais nordestinos residentes em Mato Grosso do Sul, onde nasceu em Glória de Dourados, um dia pegou a estrada e se mandou para Lambari. Durante nove anos enfrentou o batente de sol a sol cortando cana. Vida dura, porém de muito aprendizado.

Comunicativo e interessado no desenvolvimento de Lambari ele deixou os canaviais e subiu em um palanque em busca de votos para vereador. Além da coragem e da vontade de servir, levou consigo o apelido Dandan.Venceu, mas foi o último colocado entre os eleitos. A reeleição foi mais fácil: conquistou a maior votação para o cargo.

Chegou à presidência da Câmara.

Em 2016 Lambari elegeu o prefeito Edvaldo Alves (PSB) e seu vice Zaqueu Batista (PL). Essa chapa foi cassada pelo TRE. no final de 2019, por crime de abuso de poder econômico. Presidente da Câmara, Dandanassumiu a prefeitura. A Justiça Eleitoral marcou para 26 de abril a eleição suplementar para prefeito e vice em Lambari, pra que a mesma coincidisse com outra, essa pra preenchimento de uma vaga no Senado, aberta com a cassação da senadora Selma Arruda e ora bionicamente ocupada por Carlos Fávaro (PSD), que foi derrotado ao cargo em 2018 – esse pleito não aconteceu em razão da pandemia do coronavírus;

Dandan (PL) é prefeito constitucional do município onde cortou cana. Para ele não se trata de mera coincidência. Lambari é terra de oportunidade pra quem trabalha e acredita.

 

*FONTE: BOA MIDIA

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Dandan Medeiros lidera na pesquisa em Lambari D`Oeste

Publicado

Uma pesquisa realizada no munícipio de Lambari D´Oeste (322 km de Cuiabá), entre os dias 04 e 05 de Outubro, mostra que o candidato Dandan Medeiros (PR), lidera nas intenções de votos válidos, com 33,83% na espontânea.

Quem aparece em segundo lugar é a candidata Maria Manéa (PSD), com 26,65% das intenções de votos.
O terceiro colocado é Marcelo da Bem Estar (PDT), que tem 20,96% das intenções dos votos, empatado tecnicamente com a segunda colocada.

Medeiros é o atual prefeito do munícipio, é candidato a reeleição e considerado um dos melhores gestores que já assumiram a Prefeitura.

Entre todos os entrevistados 64,67% das pessoas avaliaram com bom a gestão de Dandan, 17,66% opinaram como ótimo, 11,68% disseram que o governo é ruim e apenas 5,99% apontaram que Medeiros teve uma péssima administração.

Com o resultado, Dandan Medeiros seria o candidato eleito pelos eleitores de Lambari D`Oeste.

REGISTRO LAMBARI D’OESTE (1)

Continue lendo

Mato Grosso

Francieli e Giseli de Leverger são destaques nas candidaturas femininas em Mato Grosso

Publicado

Pela primeira vez na história política de Santo Antônio de Leverger, uma chapa composta totalmente por mulheres na “cabeça de chapa” ganha adesão, aceitação e clamor social, com Francieli Magalhães pré-candidata a prefeita, acompanhada da vereadora, Giseli Ribeiro de pré-candidata a vice-prefeita.
“É com o “coração” que a coligação entre PTB e PDT concorre à prefeita e vice-prefeita, fazendo história no município, como a primeira chapa composta exclusivamente por mulheres”.
A confirmação foi realizada na tarde do último sábado, (12), durante a convenção do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, quando homologaram as candidaturas de Francieli Magalhães (PTB) e Giseli Ribeiro (PDT), para disputar a eleição municipal.
“O evento contou com a presença de vários apoiadores, lideranças políticas e sociais”.
A coronel Fernanda da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, que é pré-candidata a uma vaga no Senado da República, também esteve presente no evento, quando falou da importância da participação da mulher na política.
“Por ser mais de 50% do eleitorado em Mato Grosso, as mulheres precisam unir forças, fazer parte da política, sabemos que enfrentar o sistema não é fácil, mas com boas propostas é possível, Francieli e a Giseli são mulheres com capacidades e que vão contribuir muito para o desenvolvimento de Santo Antônio de Leverger”, ressaltou Fernanda, em apoio às mulheres.
Desde quando o nome de Francieli Magalhães foi cogitado como pré-candidata, para disputar a eleição municipal, que as intenções de apoiadores foram crescendo gradativamente, e quando houve a confirmação da vereadora, Giseli Ribeiro somando na composição como pré-candidata a vice-prefeita, potencializou ainda mais a formação do grupo, prova disto foram as presenças de várias lideranças políticas e sociais, na convenção.
“Até na confirmação das candidaturas, as mulheres já mostraram mais eficiência que os demais”.
Desta forma, Francieli e Giseli entraram para o cenário em destaque, das mulheres na política, que entraram na disputa eleitoral deste ano, acompanhada da candidata ao Senado da República, coronel Rubia Fernanda, juntamente com a candidata a prefeita de Cuiabá, Gisela Simona, e em Cáceres, Eliene Liberato disputa a Prefeitura.
Gisela Simona já falou por várias vezes, da importância da participação das mulheres na política, disputando eleições e exercendo cargos que venha atender a demanda da sociedade.
A confirmação das candidaturas de Francieli Magalhães e Giseli Ribeiro serviu de motivação para dezenas de mulheres, que decidiram registrar suas candidaturas para disputar uma vaga na Câmara Municipal de Santo Antônio de Leverger.
A expectativa é que as mulheres exerçam o maior número de cargos eletivos já registrado na história da política nacional.

Continue lendo

Mato Grosso

Duas chapas concorrem em Água Boa

Publicado

Em Água Boa, no centro geodésico do Brasil e com 18.375 eleitores, a disputa pela prefeitura é polarizada. Uma chapa encabeçada pelo ex-prefeito democrata Maurício Tonhá, e outra, pelo médico Mariano Kolankiewicz (MDB).

Maurício Cardoso Tonhá é baiano de Santana, empresário do agronegócio com destaque no setor leiloeiro. Foi vereador, presidente da Câmara e em dois mandatos consecutivos, prefeito.

Seu vice é o pecuarista Jonathan Silveira (PL), estreante em política.

Mariano Kolankiewicz Filho é gaúcho de Guarani das Missões. Médico, adota o nome político de Dr. Mariano. Sua vice é a empresária, administradora de empresas e vice-prefeita Rejane Schneider Garcia.

Dr. Mariano disputou a prefeitura em 2012 recebendo 5.613 votos (49,47%) e o pleito foi vencido por Mauro Rosa, o Maurão, que se reelegeria ao cargo em 2016 com Rejane Garcia em sua chapa.

Rejane, além de vice-prefeita, em 2018 foi candidata a segunda suplência na chapa ao Senado do então deputado federal tucano Nilson Leitão, que recebeu 330.430 votos ficando em quinto lugar. O primeiro suplente foi o empresário cuiabano Luiz Carlos Nigro, também tucano.

As forças políticas locais se dividem entre as duas chapas. O prefeito Mauro Rosa, o Maurão (PSD) apoia Maurício Tonhá. O deputado estadual, ex-vereador e ex-candidato a prefeito Dr. Eugênio (PSB) é aliado de seu colega Dr. Mariano.

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana