Política MT

Câmara em MT tem surto de Covid; três vereadores estão contaminados

Publicados

em

A Câmara de Rondonópolis  (218 km de Cuiabá) iniciou na terça-feira (5) um processo de  sanitização após três vereadores serem contagiados pela Covid-19. Os parlamentares são  Jonas Rodrigues e Adilson do Naboreiro, ambos do Solidariedade e a vereadora Marildes Ferreira (PSB).

Os três  sentiram sintomas como dor de cabeça, no corpo e febre. Não houve necessidade de internação e eles estão em casa, cumprindo isolamento social.

Em maio do ano passado, a vereadora Marildes apresentou alguns sintomas parecidos, mas não foi diagnostica com a doença. Por isso, o quadro não é tratado como possível reinfecção. 

De acordo com o parlamento municipal, nenhum servidor foi contaminado pelo vírus recentemente.

Conforme informações do boletim epidemiológico, divulgado nesta quinta-feira (7), pela prefeitura de Rondonópolis, o município registrou 15.597 casos confirmados e 435 óbitos.

ÓBITO DE EX-VEREADOR

O ex-vereador de Rondonópolis, Juary Miranda (Solidariedade), morreu no último sábado vítima da Covid-19. Ele tinha  64 anos e teve seu mandato encerrado no último dia 31 de dezembro, já que não se reelegeu no pleito de novembro de 2020.

Juary estava internado desde a véspera de Natal (24) na Santa Casa de Rodnonópolis. No dia 24, seu quadro se agravou e ele precisou ser intubado. 

 

 

*FONTE:Folha Max

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Posse da Mesa Diretora da AL não terá público por causa da covid-19

Toda a cerimônia será transmitida pela TV Assembleia e os deputados concederão coletiva à imprensa de forma remota

Publicados

em

Da Redação

A posse da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 2021-2023 ocorrerá de maneira remota, sem a presença de público e da imprensa. Ela contará apenas com a participação do governador do Estado, Mauro Mendes (DEM). A solenidade será transmitida pela TV Assembleia e, pouco depois, os membros da Mesa vão conceder uma entrevista coletiva “online” para a imprensa.

A nova gestão é formada pelos deputados integrantes da chapa “União e Trabalho”, eleita com 22 votos no dia 10 de junho de 2020. São eles: Eduardo Botelho (DEM), reeleito presidente; Janaína Riva (MDB), como vice-presidente; Max Russi (PSB), como primeiro-secretário; Wilson Santos (PSDB), segundo vice-presidente; Valdir Barranco (PT), 2º secretário; Delegado Claudinei (PSL), 3º secretário; Paulo Araújo (Progressistas), como 4º secretário.

No primeiro escalão nenhuma mudança. Presidente, vice-presidente e os dois primeiros secretário continuam os mesmos. Aliás, tudo foi acertado logo no início do ano passado e confirmado com a eleição da mesa no dia 10 de junho. Talvez houvesse alguma mudança, caso um arranjamento político não tivesse sido montado para dar a deputada Janaina Riva (MDB) o direito de voto. Ela estava grávida e prestes a entrar de licença maternidade e pediu que o presidente Botelho que desse um jeitinho de ir contra o regimento interno da Casa de Leis antecipando a nova eleição.

Fala-se nos bastidores, que tudo estava engendrado para que Botelho permaneça apenas três meses na direção da AL até que assuma uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE) , de indicação da AL, e que deve vir em março. Se isso ocorrer, Janaina assume definitivamente a presidência do parlamento estadual ganhando holofotes para fortalecer sua tão sonhada candidatura ao Governo do Estado, quiçá em substituição a Mauro Mendes que, já dizem a boca pequena, pretende seguir os mesmo passos de Blairo Maggi e se tornar senador da república após dirigir um dos maiores estados do país em relação ao PIB nacinal.

O que se espera é que nem Janaina nem Botelho perdurem à frente da AL com o pai da deputada, o José Geraldo Riva que comandou o legislativo estadual por 20 anos. Todos sabem as consequências desta “concentração de poder” para o estado de Mato Grosso

Continue lendo

Política MT

Faid agradece convite do PROS, mas diz que ele e Emanuel ficam no MDB

O convite foi feito pelo vice-presidente estadual do Pros, Carlos Frederick, depois de Gisela simona ter sido convidada a integrar as fileiras do MDB

Publicados

em

Da Redação

O Partido Republicano da Ordem Social (Pros), presidido em Mato Grosso pelo deputado estadual João Batista, resolveu retribuir a gentileza do MDB, que convidou a advogada Gisela Simona à deixar o Pros e integrar suas fileiras. Nesta quarta-feira (27), convidou o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), uma das lideranças emedebistas, para mudar de time. A sigla estendeu o convite para o ex-presidente do diretório municipal, Francisco Faid. Ambos declinaram.

“Ficamos muitos honrados pelo convite, muito satisfeitos. Mesmo porque demonstra respeito e reconhecimento pelo trabalho. Mas, não temos interesse me deixar o MDB”, explicou Faiad.

O convite à Gisela havia sido feito há uma semana pelo presidente estadual do MDB, deputado federal Carlos Bezerra, que há muito tempo não cruza os bigodes com os correligionários convidados pelo PROS. O mesmo Bezerra que colocou a deputada estadual Janaína Riva na presidência do diretório municipal do partido, sem ouvir as lideranças municipais, no lugar de Faid, legitimamente escolhido para a função.

Gisela declinou do convite por razões políticas. Nas últimas eleições municipais, a advogada disputou a prefeitura de Cuiabá contra Emanuel Pinheiro e Abílio Junior (PSC). Terminou o primeiro turno em terceiro lugar e no segundo apoiou Abilio contra o prefeito que foi reeleito.

“Pesa na decisão o convite ter vindo do líder do partido, mas vou aguardar e ver quem fica e quem sai do MDB. Não seria adequado ir para o partido do prefeito que acabei de competir no pleito municipal”, disse Gisela.

“Não há nenhum problema dela (Gisela) vir para o MDB, mas vai ter que se enquadrar. Agora, se depender do Emanuel sair do MDB para ela vir, a Gisela não entrará porque ele não sai”, frisou Faiad.

Continue lendo

Política MT

CIB aprova plano de distribuição de vacinas contra covid-19

As 24 mil doses da Covishield e as 11 mil da CoronaVac seram usadas na imunização complementar dos trabalhadores da saúde

Publicados

em

Da Redação

A Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) aprovou resolução que estabelece o planejamento de distribuição, armazenamento, operacionalização e aplicação das vacinas CoronaVac (Sinovac/Butantan) e Covishield (AstraZeneca/Fiocruz), conforme os Planos Nacional e Estadual de Operacionalização de vacinação contra a Covid-19.

A íntegra da resolução, que trata especificamente sobre os dois últimos lotes de vacinas encaminhadas pelo Ministério da Saúde, pode ser acessada por meio deste link.

Conforme orientação do Governo Federal, o quantitativo de 24 mil doses da vacina Covishield e de 11 mil doses da CoronaVac segue a prioridade de imunização complementar aos trabalhadores da saúde que atuam na Atenção Básica, ambulatórios, unidades hospitalares e Serviço Móvel de Urgência e Emergência (Samu).

Em janeiro, também foi divulgada a resolução que estabelece o planejamento de distribuição, armazenamento, operacionalização e aplicação de 126 mil doses da CoronaVac, na primeira remessa enviada pelo Ministério da Saúde.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde.

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana