fbpx

MUNDO

 Biden reúne líderes mundiais para debater mudança climática

Publicados

em


O presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, reuniu líderes mundiais nesta sexta-feira (17) para debater a intensificação dos esforços no combater às mudanças climáticas. O objetivo é se preparar para uma cúpula internacional sobre o aquecimento global, que será realizada no fim deste ano.

Biden promoverá uma reunião virtual do Fórum das Grandes Economias (MEF) na Casa Branca, uma sequência ao encontro do Dia da Terra, que sediou em abril, para apresentar novas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa e induzir outros países a fazerem mais para conter as suas.

O presidente destacou a mudança climática diversas vezes nas últimas semanas, na esteira dos danos causados por inundações e incêndios florestais devastadores nos EUA.

Tratar do assunto é uma de suas maiores prioridades domésticas e internacionais. A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) em Glasgow, de 31 de outubro a 12 de novembro, é vista como um momento crítico para o mundo se comprometer a fazer mais para deter a elevação da temperatura. Biden quer reunir grandes poluidores para tornar a COP26 um sucesso.

A Casa Branca não divulgou os nomes dos países participantes da reunião desta sexta-feira. O encontro de abril inclui comentários do presidente chinês, Xi Jinping, do presidente russo, Vladimir Putin, da chanceler alemã, Angela Merkel, e de outros líderes mundiais.

Ainda nesta semana, a Casa Branca informou que Biden espera usar o MEF, depois da cúpula da Organização das Nações Unidas (ONU), para continuar pressionando por medidas em favor do clima.

“O presidente delineará planos para alavancar o MEF pós-Glasgow como plataforma de esforços coletivos concretos de escalada da ação climática ao longo desta década decisiva”, disse a Casa Branca em comunicado.

Também em abril, Biden anunciou nova meta para reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos EUA em 50%-52% até 2030, na comparação com os níveis de 2005.

A reunião de hoje pôde se concentrar especialmente no metano. Os EUA e a União Europeia concordam em tentar cortar as emissões de metano em cerca de um terço até o fim desta década e estão pressionando outras grandes economias a se unirem a eles, de acordo com documentos a que a Reuters teve acesso.

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MUNDO

G20: Brasil vai priorizar temas como saúde, tecnologia e meio ambiente

Publicados

em


As áreas da saúde, tecnologia, produção de energia e meio ambiente serão as prioridades do Brasil no próximo encontro do G20, grupo formado pelas 20 maiores economias do mundo, nos dias 30 e 31, em Roma, capital da Itália.

Segundo o secretário de Comércio Exterior e Assuntos Econômicos do Itamaraty, Sarquis José Sarquis, serão tratados assuntos sobre economia e saúde global, mudanças do clima e desenvolvimento sustentável.

“Eles terão uma discussão dividida, estruturada em três sessões. A primeira sobre economia global e saúde global. A segunda sobre mudança do clima e meio ambiente. A terceira sobre desenvolvimento sustentável. Também terão trocas informais de impressões, comentários sobre dois grandes temas que estarão em eventos paralelos, que tratarão de apoio a pequenas e médias empresas comandadas por mulher”, disse o secretário. Outro evento paralelo, segundo Sarquis, será sobre o papel do setor privado na luta contra a mudança do clima.

Em entrevista à Voz do Brasil, Sarquis afirmou ainda que outro ponto em discussão será um comércio internacional com menos barreiras tarifárias. Além das reuniões do G20, o presidente Jair Bolsonaro e os ministros vão participar de encontros bilaterais.

“Alguns países como os da União Europeia, Estados Unidos e mesmo países emergentes como China e Índia, que são grandes economias, têm programas de apoio doméstico que visam a subsidiar a produção agrícola. Alguns desses subsídios são justificados quando aplicados à população carente e assim sucessivamente. Mas outros acabam distorcendo as condições de mercado, acabam reduzindo preços de alimentos de forma artificial, o que faz com que países que são muito competitivos em alimentos, em produtos agrícolas como Brasil, Argentina e outros países da América do Sul, não tenham condições de se beneficiar desses mercados”, argumentou.  

Ouça na Radioagência Nacional:

Cúpula do G20

O G20 irá antecipar alguns debates previstos para a COP26, a Cúpula sobre Mudanças Climáticas da ONU, marcada para 31 de outubro a 12 de novembro, na cidade de Glasgow, na Escócia.

Nesta sexta-feira (22), representantes do governo brasileiro e da União Europeia fizeram uma reunião virtual sobre o clima. O chefe de gabinete do Ministério das Relações Exteriores, Achilles Zaluar, afirmou que a ideia é construir consenso sobre o assunto.

A Cúpula do G20 vai marcar a retomada das reuniões presenciais do grupo. No ano passado, o encontro foi virtual por causa da pandemia de covid-19. Parte da comitiva que representa o Brasil embarca neste domingo.

*Com informações de Victor Ribeiro, da Rádio Nacional

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
Continue lendo

MUNDO

Vacina da Pfizer contra covid tem alta eficácia em estudo com crianças

Publicados

em


A vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 apresentou 90,7% de eficácia contra o novo coronavírus em um ensaio clínico com crianças de 5 a 11 anos, informou a farmacêutica norte-americana nesta sexta-feira (22).

No estudo, 16 crianças que receberam placebo (substância inócua) tiveram covid-19, em comparação com três que foram vacinadas, disse a Pfizer em documentos enviados à Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA).

Como mais do que o dobro de crianças – no ensaio com 2.268 participantes – receberam a vacina em relação ao placebo, isso equivale a mais de 90% de eficácia.

Os assessores externos da FDA se reunirão na terça-feira (26) para votar recomendação de aprovação da agência da vacina para essa faixa etária.

Comentários Facebook
Continue lendo

MUNDO

Alec Baldwin dispara em set de filmagem e diretora de fotografia morre

Publicados

em


A diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu e o diretor Joel Souza ficou ferido na quinta-feira (21) quando o ator norte-americano Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica em um set de filmagem no Novo México, disseram autoridades.

Baldwin baleou Hutchins, diretora de fotografia do filme Rust, e Joel Souza, o diretor do filme, no Rancho Bonanza Creek, instalação de produção ao sul de Santa Fé, de acordo com o Departamento do xerife da cidade.

Hutchins foi transportada de helicóptero ao Hospital da Universidade de Novo México, onde foi declarada morta.

Souza foi levado de ambulância ao Centro Médico Regional Christus St. Vincent Medical para ser tratado dos ferimentos, cuja gravidade não pode ser determinada de imediato.

A atriz Frances Fisher disse no Twitter que “Souza me mandou uma mensagem de texto dizendo que saiu do hospital”. Indagado se Souza teve alta, o porta-voz do centro médico, Arturo Delgado, disse não ter permissão para divulgar informações sobre pacientes.

O gabinete do xerife disse que nenhuma acusação foi feita e que está investigando o episódio e entrevistando testemunhas. “A investigação continua aberta e ativa”, disse o gabinete do xerife em um comunicado.

O site de entretenimento Deadline citou uma fonte do gabinete do xerife segundo a qual Baldwin foi interrogado por investigadores e depois liberado.

O ator foi ao gabinete do xerife espontaneamente e deu uma declaração aos investigadores, noticiou o Santa Fe New Mexican citando o porta-voz Juan Rios.

Agentes ainda estavam tentando determinar se o que aconteceu foi um acidente, acrescentou o jornal. Rios não respondeu de imediato a pedidos de informação feitos pela Reuters.

Representantes de Baldwin tampouco responderam a pedidos de comentário. Mais cedo na quinta-feira, a revista de notícias People noticiou que um porta-voz de Baldwin disse que houve um “acidente” envolvendo o “disparo involuntário de uma arma cenográfica com festim”.

Baldwin foi visto “angustiado e em prantos” ao falar ao telefone diante da sede do gabinete do xerife no mesmo dia, relatou o Santa Fe New Mexican.

O ator de 63 anos é coprodutor de Rust, um faroeste que se passa no Kansas dos anos 1880, e interpreta o personagem que dá título ao filme, um avô fora da lei de um menino de 13 anos condenado por uma morte acidental.

A produção do filme está suspensa por “período indeterminado”, disseram vários veículos de notícias citando a produtora, Rust Movie Productions LLC.

O acidente ressuscitou um debate sobre se certos tipos de arma cenográfica deveriam ser proibidas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana