DESESPERARDOR

Áudio revela reações de empresário e mãe de Isabele; ouça

Publicado

Polícia

Arquivo Pessoal

A gravação de uma conversa telefônica entre o empresário Marcelo Cestari e um médico do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), à qual o MidiaNews teve acesso, revela momentos de tensão e desespero logo após a morte da adolescente Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos.

Ela foi atingida por um disparo feito pela amiga, da mesma idade, filha de Cestari. A tragédia ocorreu no último dia 12 de julho, na casa do empresário, no condomínio Alphaville, em Cuiabá.

A filha contou à Polícia Civil que atingiu a amiga com um disparo acidental, após um case com duas armas caírem no chão, próximo ao banheiro onde a vítima faleceu.

Na gravação, de 14min30, é possível acompanhar a dinâmica dos fatos após a morte, como o nervosismo do empresário para tentar reanimar a jovem, a descoberta de que se tratava de um tiro, e não de uma queda – como inicialmente ele havia pensado.

A gravação revela também o desespero da mãe de Isabele, Patrícia Guimarães Ramos, que chega ao banheiro e se depara com o corpo da filha, e a chegada do médico Manuel Garibaldi, amigo da família, que constatou a morte.

O áudio é identificado como sendo a sétima ligação feita entre o Samu e a casa do empresário, que conversou com os socorristas por duas vezes. O telefonema foi feito às 22h02 daquele domingo.

Inicialmente, o empresário fala ao médico socorrista o que ele acha que ocorreu e pede auxílio.

Marcelo CestariEla caiu no banheiro, bateu a cabeça e perdeu uns dois litros de sangue. Por favor! [Venha] Muito rápido! É queda no banheiro.

SamuEla tá acordada?

CestariDesacordada.

SamuDá para ouvir ela respirar?

Cestari: Não estou sentindo a respiração dela.

Samu: Sabe me dizer se ela tem pulso, senhor?

Cestari: Não, ela não tem pulso no pescoço. Rápido, rápido!

SamuSenhor, deixa ela em uma superfície rígida, pode ser no chão. Entre os dois mamilos dela, o senhor vai começar a iniciar a compressão. Se ela não estiver respondendo, se ela não responde quando o senhor tocar nela, o senhor inicia a compressão.

Marcelo Cestari: Não, eu acho que já está desfalecida.

Segundos depois, o profissional do Samu indaga Cestari sobre a ocorrência. Inicialmente, o empresário nega que tenha sido um tiro e reafirma ter sido uma queda no banheiro.

Samu: Senhor, é queda no Jardim Itália?

 Cestari: É queda, no Alphaville 1.

Samu: É tiro ou queda, senhor? 

Cestari: É queda, queda. 

Samu: Tudo bem, senhor. Porque tem outra ocorrência dizendo que é tiro, senhor. Se for …

Cestari: Não tem nada de tiro, não.

Samu: Ok, senhor. Então inicia a compressão entre os dois mamilos dela. O senhor vai iniciar a compressão no peito. Vai fazer de 100 a 120. Um, dois, três, quatro (…). 

No áudio, é possível ouvir que Marcelo – com as instruções do socorrista – começa a fazer a compreensão cardíaca para tentar reanimar a adolescente. “Tem que ser rápido porque ela perdeu muito sangue”, disse.

“Foi um tiro”

No momento seguinte, é possível inferir que a filha – amiga da adolescente morta – aparece no quarto e o pai se dirige a ela e pergunta: “O que que foi? Ela caiu? O que aconteceu?”

A adolescente então explica ao pai que ocorreu um tiro acidental após a queda da arma. Na gravação da chamada, não é possível ouvir com clareza as palavras da menina.

Momentos depois ele é interrompido pelo médico socorrista do Samu.

Samu: Marcelo, estão nos informando que foi tiro.

Marcelo CestariPois é.. Agora que a menina está falando. 

Samu: Ok, Marcelo. Continue as compressões, faça o seu melhor. Minha ambulância está a caminho e a gente vai chamar a polícia.

Chegada da mãe: “Meu Deus”

Neste momento, a mãe da Isabele, Patrícia Guimarães Ramos, chega ao banheiro e grita desesperada: “O que que aconteceu? Meu deus!”.

Marcelo então pede calma à mulher e se reporta ao Samu. “Oi, a mãe dela chegou aqui. [Aguarda] Só um pouquinho”.

Após esse momento, é possível ouvir a mãe dizer: “Eu não consigo. Eu não consigo”. E Marcelo constata: “Ela não tem mais pulso, ela não tem mais pulso”.

O médico do Samu pede que Marcelo continue com as compressões, e é possível ouvir novamente a mãe gritar: “Meu Deus”.

“Não é agressor, foi acidente”

O socorrista orienta Marcelo a fechar a porta do banheiro para que continue a realizar as massagens cardíacas. Ele obedece. Em seguida, pergunta se no local se encontra um possível agressor.

SamuEu quero que o senhor me informe se o senhor está seguro. Se o agressor está no local.

Marcelo Cestari: [Ofegante] Não é agressor, é acidente.

Choro e desespero

Após oito minutos com o socorrista ao telefone, Marcelo começa a chorar e revela: “Não tem mais [pulso]. Já tem muito sangue no chão”.

Samu: Tudo bem, Marcelo. Mas vamos tentar manter a circulação do que ela tiver de sangue para que a nossa ambulância, quando chegar ao local, tentar dar o suporte para ela. Continua a compressão.

Marcelo CestariEu estou preocupado com meus filhos. Eles estão lá em baixo. Eu estou desesperado.

(…)

Samu: Estou sabendo que tem uma moça no local, se ela puder te ajudar com a compressão.

Marcelo Cestari: É a mãe da menina. Minha vizinha que está aqui. 

Samu: E ela não consegue?

Marcelo Cestari: Ela não consegue. E até onde eu sei parece que ela é médica. Mas é a filha dela. 

(…)

Samu: Se o senhor estiver cansado e não conseguir mais, o senhor está autorizado a parar. Fica a seu critério. 

Marcelo Cestari: Não, eu não vou parar. Eu não quero parar.

O empresário então continua a realizar massagem cardíaca na adolescente sob instrução do médico e chega a realizar respiração boca-a-boca.

Chegada do médico: “Ela está morta”

O médico Manuel Garibaldi, vizinho e amigo da família, então chega ao local e é anunciado por Cestari.

Marcelo Cestari: Chegou um médico aqui, mas não é o Samu ainda, não. É um vizinho meu. 

Samu: Perfeito, então deixa eu conversar com ele.

Então é possível ouvir quando Garibaldi constata o óbito da adolescente. “Ela está morta, não tem […] Ela está morta. Ela não tem pulso”.

Uma mulher pergunta: “Foi no coração?”. Garibaldi responde: “Não, foi na cabeça o tiro”.

O socorrista então pede para que o médico o informe sobre a situação.

Manuel Garibaldi: Olha, na minha avaliação ela está morta já. […] Foi um tiro na cabeça. 

Samu: Tem extravasamento de massa encefálica?

Manuel Garibaldi: Não. Mas tem uma quantidade de sangue muito grande.

Samu: Doutor, se o senhor puder orientar o pessoal a fazer a interrupção [da massagem cardíaca]. Porque nosso protocolo é realizar, até a chegada da ambulância. Eu vou informar meu pessoal que está na rua.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Dois homens são encontrados mortos, amarrados e com marcas de tiros de 380

Publicado

Dois homens foram encontrados mortos, na manhã desta quinta-feira (17), na região do Coxipó do Ouro, em Cuiabá. As vítimas estavam amarradas uma na outra, com marcas de tiros pelo corpo. Ao menos 9 cápsulas de calibre 380 foram encontradas ao lado do corpo.

 

As informações são preliminares, já que a ocorrência está em andamento. Populares que encontraram os corpos acionaram os policiais, que fizeram o isolamento da área.

Por enquanto não há confirmação da identidade das vítimas. Mas, no local perícia já recolheu cápsulas deflagradas de calibre 380. Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionada e investigadores vão instaurar um inquérito para investigar o crime.

 

 

*FONTE:Gazeta Digital

Continue lendo

Polícia

Irmãs são presas por planejarem a morte do pai e da amante dele em MT

Publicado

A Polícia Militar prendeu duas irmãs, de 43 e 32 anos, suspeitas de planejarem o assassinato do pai, na noite de segunda- feira (14), no Conjunto São José, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. As suspeitas se desentenderam após um delas ameaçar pagar alguém para matar o próprio pai.

Por volta das 23h30, uma equipe da PM foi acionada por uma das suseitas, que alegou que havia sido agredida pela irmã que estava na casa da família. Os policiais foram até o local e a suspeita relatou que se desentendeu e as duas foram às vias de fato porque a irmã teria ido ao banco sacar R$ 2 mil para pagar uma pessoa para matar seu próprio pai e a amante dele.

Foi verificado que as suspeitas apresentavam lesões nos dedos e ferimentos na região da cabeça ocasionadas durante a briga. Com uma das irmãs, a PM encontrou a quantia de R$ 1,7 mil.

Diante da situação, os policiais conduziram as duas mulheres para a delegacia por crime de vias de fato. O caso foi repassado à Polícia Judiciária Civil.

*FONTE:G1

Continue lendo

Polícia

Irmãos são assassinados por atiradores no pátio de empresa no interior

Publicado

Os irmãos João Ricardo Nicolau, 48, e Sérgio Bonifácio Nicolau, 45, foram assassinados no começo da noite de domingo (13), no pátio da empresa de guincho que um deles era dono, na cidade de Nova Mutum (264 km ao Norte de Cuiabá), por dois homens armados que chegaram em uma moto. Duas testemunhas também foram alvos dos tiros, mas conseguiram fugir sem nenhum ferimento.

 

De acordo com as informações, Polícia Militar foi acionada por volta das 18h30, logo após o crime e já encontrou as vítimas feridas no pátio da empresa. Nicolau já não apresentava sinais vitais. Já Sérgio estava com um tiro próximo da cabeça, com sinais vitais.

Corpo de Bombeiros foi acionado e socorreu a vítima, que foi encaminhada para uma unidade de saúde. No local, havia vários projéteis de arma de fogo calibre 380.

 

Testemunha informou que estava no pátio da empresa quando dois homens em uma moto se aproximaram, entraram no local e sem falar nada, um deles sacou uma arma de fogo. Em seguida, dispararam vários tiros contra as vítimas.

 

Eles atiraram contra as testemunhas, uma delas se jogou em solo e a outra correu. Os suspeitos fugiram por rumo ignorado e não foram mais encontrados.

 

Durante o registro da ocorrência, Polícia foi informada que na madrugada de segunda-feira (14), Sérgio não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no hospital. Polícia Civil foi acionada e está investigando o crime. Imagens das câmeras de segurança da empresa serão usadas para identificar os criminosos.

 

 

 

*FONTE: Gazeta Digital

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana