conecte-se conosco



PAVOR NO MANSO

ATAQUE DE PIRANHAS

Publicado

Perigo eminente. Nas últimas semanas, pessoas que frequentam o Lago do Manso, que pertence ao município de Chapada dos Guimarães, relataram ataques e infestação de piranha.

A equipe do O Factual entrou em contato com Alex Rangel Jorge, 41, que na última quarta-feira (27), estava a passeio com a família na Ilha de Bora Bora e foi atacado. “Chegamos à praia, em menos de cinco minutos que entrei na água já fui atacado”. Ele ainda conta que após ocorrido, se deslocou até o Malai Manso Resort para fazer curativo.

Após os relatos, entramos em contato com produtores de alevinos, uma delas é a Piscicultura Cascalheira, localizada em Nobres-MT. Segundo a proprietária, Greyce Kelly, outros tipos de peixes na bacia diminuiria o problema, mas ainda não resolveria, pois já há uma grande quantia de alevinos predadores que são soltos no Lago Manso.

“A solução seria a criação de um sistema de degrau para que o peixe possa subir naturalmente no lago e se procriar”. Ela ainda disse que houve um aumento na procura de alevinos nativos carnívoros, como o Pintado, Pera, Pacu e Dourado para soltura no Lago do Manso e controlar os alevinos de piranhas.

A piranha é um dos mais temidos peixes de água doce do mundo e, segundo especialistas, ao contrário do que se pensa, ela não sente uma atração incontrolável por sangue, os ataques são provocados principalmente por quedas de objetos na água ou movimentações incomuns, que são interpretadas como a presença de um animal ferido ou em dificuldade

Altayr Fernandes Jorge, dono da Pousada Marina do Altayr no Manso, explicou alguns dos motivos da infestação de piranhas nas regiões afetadas. “Sabemos que ocorrem em locais que fomentam, ou seja, que alimentam as mesmas. Se você acostuma ela com alimento, ela irá entender que qualquer movimento naquele local seja alimento, fazer churrasco nas lanchas e jogar restos de carne na água ou nas margens, é considerado fomento.”

Ele ainda disse que em toda sua praia há demarcações e que não permitem nenhum tipo de alimentação e alerta a todos para que não façam essa prática e evitar o fomento onde já ouve ataques.

Ricardo Arruda, frequentador assíduo também, relata o Manso, de um paraíso, as suas periculosidades, destacando os ataques frequentes de piranhas que se intensificaram de 1 anos pra cá em lugares de grande frequentação tais como as margens onde existem restaurantes e na ilha de Bora Bora, que é ponto de encontro de lanchas que ali fazem churrascos e consomem outros alimentos. Arruda destaca também o que além das piranhas ele tem observado um número grande de arraias e teme pelas crianças que ali frequentam também.

Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
Foto e arquivos de imagem
 
 
 
Arquivos de Áudio e Vídeo
 
 
 
Outros tipos de arquivos
 
 
 
  Se inscrever  
Notificação de

Política MT

Polícia

Mato Grosso

Política Nacional

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana