fbpx

Sem categoria

Após show em Cuiabá, cantora Joelma testa positivo para Covid 19

Publicados

em

A cantora Joelma testou positivo para a Covid-19 nesta terça-feira (18), três dias depois de realizar um show em Cuiabá.

Joelma se apresentou na boate Lua Morena, no sábado (15). O show recebeu centenas de pessoas mesmo diante do avanço de uma nova variante da Covid-19. 

Em nota, o escritório que representa a cantora afirmou que ela está se recuperando em casa, isolada, com sintomas leves e com todos os cuidados necessários. Essa é a segunda vez que Joelma testa positivo para Covid. 

Comentários Facebook
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Justiça remarca audiência que investiga esquema que favorecia Grupo Malouf

Publicados

em

Foi remarcado para o dia 5 de julho deste ano uma audiência de instrução para interrogar os cinco réus numa ação penal derivada da Operação Impostor que desarticulou uma organização criminosa composta por ex-servidores da Prefeitura de Cuiabá e corretores de imóveis. O prejuízo causado aos cofres foi apontado como superior aos R$ 2,5 milhões. A decisão é da juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Conforme a acusação, as empresas do Grupo Maluf – SM Construtora, São Benedito e Comércio Irmãos Malouf teriam sido favorecidas, tendo cometido os crimes de falsidade ideológica e corrupção ativa e passiva. Os réus no processo são: Mário Cézar de Almeida, Jumara de Jesus Correia, Willian Cândido Alves, Edesvaldo Magno Vieira e Anderson de Almeida Rodrigues. A denúncia contra eles foi recebida em fevereiro deste ano.

Mário, Jumara e Willian são processados por corrupção passiva enquanto Edesvaldo e Anderson respondem pelo crime de corrupção ativa. Quando a Operação Impostor foi deflagrada, no final de 2012 pela Delegacia Fazendária da Polícia Judiciária Civil, foi constatada a participação de 10 servidores da Prefeitura de Cuiabá, todos efetivos.
À época, foram afastados dos cargos: Airson Pereira Ricardo, Alinor Candido da Silva, Cosme Ridoval Gonçalves Manso, Donatalina da Silva Botelho, Durval de Almeida Filho, Eufrásia Conceição dos Santos, Jumara de Jesus Corrêa, Gonçalino de Paula Nunes, Jose Simone de Oliveira e Mário César de Almeida.

Eles estavam lotados nas Secretarias de Serviços Urbanos, Meio Ambiente e Assuntos Fundiários, Fazenda, Gestão e na Procuradoria Fiscal. Como houve a constatação de que estavam envolvidos na fraude tributária, os servidores foram demitidos em 17 de julho de 2013 pelo então prefeito da Capital, Mauro Mendes.

A Delegacia Fazendária descobriu que os servidores estavam envolvidos em fraude no banco de dados do sistema de administração tributária da Prefeitura. Eles acessavam o módulo financeiro do contribuinte e davam baixa de débitos sem a respectiva contrapartida do crédito nos cofres do município. Num primeiro momento, as investigações apontaram desvio na ordem de R$ 2,5 milhões.
As investigações apontaram que além do IPTU, as fraudes também vinham sendo cometidas no ISSQN, na emissão de certidões e alvarás, ITBI, Habite-se e em dívidas com a extinta Sanecap.

AUDIÊNCIAS
As audiências de instrução e julgamento na ação penal tiveram início no dia 5 de abril deste ano, ocasião que foram tomadas as oitivas de testemunhas com agendamento de outra audiência para o dia 26 de maio deste ano para interrogar os réus.
Porém, em novo despacho assinado no dia 19 deste ano, a juíza Ana Cristina Mendes remarcou a audiência que será realizada por videoconferência. “Considerando a necessidade de readequar a pauta de audiências deste juízo, redesigno a audiência de instrução e julgamento, outrora designada, para o 05.07.2022, às 14h00min, ocasião em que serão interrogados os acusados”, decidiu a magistrada na ação penal que tramita desde junho de 2021.

Comentários Facebook
Continue lendo

Politica

Musk se reúne com Bolsonaro para acordo sobre projeto na Amazônia

Publicados

em

O bilionário Elon Musk participou de um encontro com o presidente Jair Bolsonaro (PL) na manhã desta sexta-feira, 20, em Porto Feliz, no interior de São Paulo. A visita do empresário teve como motivo um acordo em projeto para levar conectividade a regiões remotas da Amazônia.

Musk usou sua conta no Twitter, plataforma que vem negociando a compra, para comentar sobre a visita ao Brasil.

“Super animado por estar no Brasil para o lançamento do Starlink para 19.000 escolas desconectadas em áreas rurais e monitoramento ambiental da Amazônia”, escreveu o bilionário.

Um avião particular de Musk desembarcou em um aeroporto particular em São Roque (SP), na manhã desta sexta-feira. Logo depois o empresário foi levado ao encontro do presidente, em Porto Feliz (SP). Também participaram do evento os ministros Fábio Faria, das Comunicações, e Ciro Nogueira, da Casa Civil, entre outras autoridades.

Considerado o homem mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 240 bilhões, segundo a revista Forbes, Musk é envolvido em projetos diversos. O empresário nascido na África do Sul e radicado nos EUA é dono da montadora de carros elétricos Tesla e da SpaceX, empresa dedicada à exploração espacial. Recentemente, o magnata vem lidando com processo de compra da rede social Twitter, em negócio de US$ 44 bilhões.

Sobre o projeto na Amazônia

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu em janeiro o direito de exploração no Brasil de satélite estrangeiro não-geoestacionário de baixa órbita para a Starlink, sistema de satélites da SpaceX.

Assim, a empresa de transporte espacial de Elon Musk pode oferecer seu serviço de satélite em todo o território brasileiro, com direito de exploração até 2027. A autorização da Anatel foi concedida depois de reunião de Fábio Faria, ministro das Comunicações, com o empresário nos EUA, em novembro.

Já em fevereiro deste ano, o governo do Amazonas também informou que vem mantendo contato com a SpaceX para a instalação de tecnologia da empresa no Estado.

“Por essa ninguém esperava! Já que vamos conectar a Amazônia, trouxemos um dos maiores empresários do mundo para nos ajudar nessa missão. Aceitamos o desafio e vamos até o fim”, escreveu o ministro Fábio Faria nas redes sociais, nesta sexta. “Obrigado pela visita, Elon. Vamos fazer isso”.

Bolsonaro sobre Musk: ‘mito da liberdade’

Em depoimento transmitido por meio das redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro também falou sobre o encontro com o empresário de origem sul-africana.

“A questão da Amazônia, para nós, é importante. Nós pretendemos e contamos com Musk para que a Amazônia seja conhecida por todos para mostrar a exuberância, o quanto é preservada por nós e o quanto as mentiras que espalham são prejudiciais”, comentou o presidente.

“Hoje em dia, poderíamos chamar Musk de ‘mito da liberdade’. O exemplo que nos deu, para nós, foi como sopro de esperança. O mundo todo passa por pessoas que tem vontade de roubar a liberdade de nós, e a liberdade é a semente para o futuro. Ele veio para nosso país demonstrando o que pretende deixar para nós, sua passagem já é algo que nos marcara, em especial a mim.”

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Deputado vira réu por acusar prefeito de pedofilia durante disputa eleitoral em 2020

Publicados

em

Apontado pela Polícia Federal como o responsável pela divulgação de vídeos apócrifos que acusaram Dorner de pedófilo durante as eleições de 2020, quando disputaram o comando da cidade, o deputado federal Juarez Costa (MDB) se tornou réu na Justiça Eleitoral por crimes de calúnia e difamação contra o prefeito de Sinop (500 KM ao norte de Cuiabá), Roberto Dorner (PSD).
O caso é referente à disputa eleitoral de 2020. A decisão é do juiz eleitoral Cleber Luis Zeferino de Paula, que nesta quarta-feira (18), recebeu a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE).

“Havendo nos autos lastro probatório mínimo e idôneo a denotar a existência do fumus boni juris, recebo a denúncia, na forma em que posta em juízo, dando os acusados Juarez Alves da Costa e Ladimir Dal Bosco como incursos no artigo 324, §1º c.c 326 do Código Eleitoral, vez que preenchidos os requisitos do artigo 357, §2º, do Código Eleitoral”, diz trecho da decisão.

De acordo com a PF, os indícios de autoria dos vídeos que acusavam Dorner de pedofilia seriam de responsabilidade de Juarez Costa e Ladimir Dal Bosco, seu candidato a vice na época.

“Que apesar de terem negado participação na divulgação dos vídeos, imputando a responsabilidade a equipe de marketing, o fato foi contestado pela empresa TR Produções de Som e Imagens Ltda, que afirmou ter sido o ‘candidato quem fez os contatos e pediu a nossa contratação’ e, ainda , ‘os responsáveis pelo conteúdo dos programas e inserções são sempre os candidatos, ou alguém designado por ele”, diz trecho do relatório policial.

A investigação começou ainda em 2020 após a apresentação da notícia-crime por Roberto Dorner, que alegou ter sua honra ‘atacada’ por Juarez Costa e Dal Bosco em razão dos vídeos, no horário eleitoral gratuito, ‘com fatos inverídicos, existindo, portanto, a prática dos crimes de divulgação, calúnia, difamação e injúria, com fins eleitorais’.

Os vídeos traziam relatos de duas jovens que alegavam ter sofrido abusos do então candidato a prefeito. Em um dos vídeos uma mulher revela que Dorner engravidou uma menina de 13 anos que possuía deficiência mental. Roberto Dorner sempre negou as acusações.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana