Ano político passou longe da calmaria

Publicado

Política MT

O ano político de 2019 em Mato Grosso não se notabilizou, como em anos anteriores, pela descoberta de ruidosos esquemas de corrupção. Mas passou longe de ficar restrito a protocolos e burocracias administrativas. Nas três esferas de poder, fatos relevantes alteraram o cenário, o jogo de forças entre os personagens políticos e geraram ineditismos.

O primeiro deles ocorreu logo no dia 22 de janeiro, com a ocupação de centenas de servidores públicos no plenário principal da Assembleia Legislativa.

A gestão do governador Mauro Mendes (DEM), recém-eleito não completara sequer um mês e os embates já  aconteciam com alta intensidade. Tudo por conta de um pacote de medidas fiscais anunciados pelo Executivo que visavam o reequilíbrio econômico do Estado.

Observados por homens da tropa de choque da Polícia Militar, cerca de 300 servidores permaneceram por 3 dias no plenário, de forma a impedir a votação do ‘pacotão’. Por fim, os deputados conseguiram votar e aprovar o projeto do governo.

João Vieira

Grampolandia / Julgamento / Zaqueu / Lesco /

A mesma Assembleia Legislativa realizou a sessão mais longa da história no dia 26 de julho. Após quase 11 horas de sessão extraordinária, que só terminou na manhã seguinte, os deputados aprovaram, em segunda votação, o Projeto de Lei
Complementar 53/2019 que autorizou a reinstituição dos incentivos fiscais, além de alterar valores e cobranças de ICMS em Mato Grosso. A previsão é que as mudanças aumentem a arrecadação do governo em até R$ 1 bilhão a partir de janeiro de 2020.

Em relação ao Judiciário, o jornal A Gazeta procurou acompanhar o desenrolar dos inúmeros processos criminais que envolvem políticos, muitos deles derivados da Operação Ararath. E optou por oferecer ao leitor uma visão analítica,
tomando por base um olhar sobre a vida levada por delatores de grandes esquemas de corrupção. A série ‘O Crime Compensa?’ colocou sobre a mesa o debate a respeito da efetividade das delações, suas implicações e fez a sociedade refletir: os acordos beneficiam mais a Justiça ou os delatores? Um dos personagens retratados na série, o empresário Júnior Mendonça, delator da Ararath, por exemplo, retomou e expandiu seus negócios após fechar acordo com a Justiça.

A série mostrou que, assim como ele, outras figuras de relevo nos maiores escândalos de Mato Grosso não apenas seguem suas vidas, mas vivem (muito) bem.

Assessoria

Assessoria

Senadora Selma Arruda

A obtenção de materiais exclusivos também foi uma marca da cobertura política do jornal em 2019. Um dos destaques ficou por conta da revelação feita pelo ex-deputado José Riva sobre a compra de vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

No dia 9 de junho, A Gazeta publicou trechos do reinterrogatório de Riva feito à Justiça Federal, quando ele passou à condição de colaborador unilateral da ação penal. De acordo com Riva, a compra da vaga custou R$ 15 milhões aos cofres públicos e teve o aval do ex-governador Blairo Maggi (PP).

Outro caso que vem dando o que falar nos últimos anos, a grampolândia pantaneira, gerou as primeiras sentenças em 2019. Na Vara Militar, depois de dois dias de julgamento, 4 dos 5 réus, todos militares, saíram livres e apenas o coronel Zaqueu Barbosa, ex-comandante-geral da Polícia Militar, foi condenado a 8 anos e a perda da patente.

A condenação de Zaqueu foi por unanimidade entre os 4 membros do Conselho de Sentença. Os coronéis Evandro Lesco, Ronelson Jorge de Barros e o tenente-coronel Januário Batista, foram absolvidos e o cabo Gerson Correa recebeu o perdão judicial.

Para encerrar o ano, a inédita cassação de uma senadora de Mato Grosso agitou os bastidores políticos no Estado e no país.

Com menos de um ano de mandato, Selma Arruda, que foi eleita pelo PSL como a ‘senadora do Bolsonaro’ deixou o partido e perdeu o cargo de parlamentar.

Após ser condenada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso por abuso do poder econômico e prática de Caixa 2 durante a campanha de 2018, Selma viu a situação se tornar irreversível em dezembro.

O Tribunal Superior Eleitoral, por 6 votos a 1, confirmou a cassação. E Mato Grosso terá nova eleição para preencher a vaga deixada por Selma.

Gazeta Digital

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Transporte coletivo de Cuiabá terá aumento de 30% na frota no 2º turno das eleições no domingo

Publicado

A frota em circulação que irá operar no segundo turno das eleições, neste domingo (29), em Cuiabá, será a mesma utilizada no dia 15 de novembro. A quantidade de veículos em circulação será de 70%, ou seja, 30% a mais do que em dias normais.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), o aumento do número de veículos em circulação será para atender a demanda, que pode aumentar por conta do segundo turno das eleições municipais.

Segundo informações da Diretoria de Transportes da Semob, aos domingos, a frota é de 40%, sendo esse um percentual considerado suficiente para atender a demanda. Dados apontam que existe uma redução em torno de 80% no número de passageiros que utilizam os serviços do transporte público aqui na Capital.

Além disso, caso haja necessidade, onze veículos ficaram de retaguarda, em pontos estratégicos para atendimento.

Dentre eles, nos bairros CPA I, CPA III, Pedra 90, Osmar Cabral/Tijucal e Parque Cuiabá/Santa Terezinha.

Por conta da pandemia da Covid-19, esse ano as seções eleitorais serão abertas uma hora antes do habitual. Os eleitores poderão comparecer às urnas das 7h às 17h. A Prefeitura ressaltou que o horário entre 7h e 10h será, preferencialmente, reservado às pessoas acima de 60 anos.

*FONTE:G1

Continue lendo

Política MT

Jayme anuncia a liberação de R$ 44 milhões em emendas

Publicado

A defesa insistente do senador Jayme Campos (DEM) para liberar recursos de emendas parlamentares para que Estados e municípios possam planejar o fechamento do atual exercício financeiro começou a surtir efeitos positivos resultou na autorização de R$ 44 milhões para obras de pavimentação em 42 cidades de Mato Grosso e para aquisição de equipamentos e medicamentos para a área de saúde.

 

Ao todo neste ano de 2020 foram empenhados até agora R$ 23,72 bilhões, sendo que deste total R$ 13,65 bilhões foram liberados, restando ainda R$ 10,07 bilhões a serem confirmados e que podem representar um final de gestão para os atuais prefeitos.

Em reunião com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM/AP), o também senador Jayme Campos sinalizou a necessidade de se ampliar o desembolso dos valores das emendas parlamentares pelo Governo Federal. “Quem melhor do que os parlamentares que conhecem a realidade de seus Estados e Municípios, pois ouvem diretamente a população, para definir as prioridades e a destinação dos recursos”, disse ele que conseguiu do presidente do Congresso Nacional o compromisso de atuar na liberação de recursos para obras que geram emprego e renda e aquecem a economia, além de valorizar imóveis em conjunto com a saúde que vive momentos de necessidade ímpar por causa da pandemia da covid-19.

“Estamos atentos a questão da saúde pública em tempos de pandemia da COVID 19, mas também na necessidade de obras de infraestrutura que geram emprego e renda para milhares de trabalhadores, sem contar que a pavimentação asfáltica de ruas, avenidas e rodovias, valoriza as cidades, o Estado, as propriedade e chama novos investidores, tão importantes para o crescimento e o desenvolvimento da economia como um todo, sendo que com a economia mais forte, temos mais chances e oportunidades para todos”, assinalou Jayme Campos assinalando que o Governo Federal tem sido sensível quanto a liberação dos recursos das emendas parlamentares.

Segundo Jayme Campos, os recursos para as obras de pavimentação asfálticas em 42 cidades, são oriundos de emendas parlamentares individuais de sua autoria ao Orçamento da União de 2019, com execução neste ano de 2020, através do Ministério do Desenvolvimento Regional. “Esses convênios são todos do ano passado e as ordens bancárias estão sendo pagas este ano. Os recursos dos 42 municípios já foram empenhados e todos os convênios já foram assinados”, explicou o senador.
Jayme Campos afirmou ainda que o dinheiro já foi cem por cento liberado e que diversas cidades do estado já receberam os recursos. “Alguns municípios precisam resolver algumas questões como licença ambiental, outros estão com pendências nos projetos de engenharia, além de falta de licitação das obras. Tudo isso impede a cidade de receber o recurso. Resolvendo as pendências, o dinheiro cai direto na conta da prefeitura”, enfatizou.

 

Já no tocante à saúde pública, o senador mato-grossense também confirmou recursos da ordem de 20 milhões de reais para municípios de Mato Grosso, através de emendas parlamentares de sua autoria ao Orçamento da União e será destinado a aquisição de equipamentos e medicamentos.

 

“Lamentavelmente, a saúde pública da quase totalidade de cidades no Brasil, vive um caos permanente, com sérias dificuldades para prestar um bom atendimento a população que necessita do SUS – Sistema Único de Saúde. Por ora, estes recursos vão permitir maior celeridade aos serviços oferecidos à população com qualidade e segurança aos pacientes e às equipes hospitalares”, declarou. (Com informações da assessoria)

 

*FONTE:GAZETA DIGITAL

Continue lendo

Política MT

Governo paga salários de novembro nesta sexta-feira

Publicado

Os salários dos servidores públicos estaduais ativos, inativos e pensionistas, relativos ao mês de novembro, estarão disponíveis nesta sexta-feira (27), dentro do mês trabalhado conforme o anunciado em setembro pelo governador Mauro Mendes.

 

A folha liquida do mês de novembro chegou a R$ 483.712.241,61 Desse total R$ 307.789.961,22 são destinados ao pagamento de servidores ativos e R$ 175.922.280,39 para inativos e pensionistas.

 

Receberão salários e proventos 111.858 pessoas. São 71.408 servidores ativos das administrações direta e indireta; enquanto inativos e pensionistas somam 40.450 pessoas.

 

De acordo com a Secretaria Adjunta do Tesouro Estadual, da Secretaria de Fazenda, o pagamento estava programado para ser feito na segunda feira (30). No entanto as equipes da do Governo e do Banco do Brasil, responsáveis pelo processamento da folha, viabilizaram a remessa dos arquivos para o Banco do Brasil nesta qunta-feira (26), permitindo assim o credito do salário na conta dos servidores já nesta sexta-feira, no período da tarde e noite. Os documentos impressos serão enviados para BB amanhã pela manhã.

 

A secretaria adjunta informou ainda que o dinheiro estará liberado no decorrer do dia tanto para quem tem contas no BB, como para aqueles que fizeram portabilidade à outros bancos. (Com informações da assessoria)

 

*FONTE:GAZETA DIGITAL

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana