Geral

Afinal, o que um Bacharel em Direito pode fazer sem OAB?

Publicados

em

O Exame da Ordem é uma etapa importante para quem pretende seguir uma carreira jurídica. Isso, porque o que um bacharel em direito pode fazer em sua área depende, muitas vezes, dessa aprovação.

Porém, há algumas possibilidades de profissões que podem ser praticadas por quem ainda não passou na OAB, mas já se graduou, ou até por quem não tem intenção de fazer a prova.

Confira a seguir o que o bacharel em direito pode fazer sem a OAB!

Assistente jurídico

Quem ainda não conseguiu a tão sonhada aprovação, mas pretende entender como é trabalhar em um escritório de advocacia, pode procurar vagas como assistente jurídico.

Essa profissão funciona como uma espécie de estágio para graduados. Dessa forma, será possível auxiliar advogados na elaboração de documentos, assistência em audiências e serviços externos, se habituando ao cotidiano da profissão.

Muito importante: mesmo já sendo bacharel, é fundamental não se apresentar aos clientes como advogado. Isso é antiético e vai contra o Estatuto do Advogado.

Correspondente jurídico

Assim como a função de assistente, um correspondente jurídico tem como ofício auxiliar advogados, dessa vez em questões administrativas. Tirar cópias, fazer diligências e encaminhar processos a outras cidades são alguns dos deveres desse profissional.

Trabalhar como correspondente pode enriquecer sua rede de contatos profissionais, o que será muito útil no futuro, ao exercer advocacia.

Concursos públicos

Para quem procura o que um bacharel em direito pode fazer fora da área advocatícia, os concursos públicos são um opção. Muitos deles não demandam a aprovação na OAB.

Alguns exemplos são os concursos da Polícia Militar, auditoria da Receita Federal, procuradoria, entre outros. Também há concursos para nível superior, em que não é demandado o diploma em direito, especificamente. Entre esses, há cargos na prefeitura, auditoria e técnico.

Carreira acadêmica

Para seguir na carreira acadêmica, não é obrigatório passar pelo Exame da Ordem. Nesse caso, porém, só o bacharelado não basta, pois um professor universitário precisa de uma especialização ou mestrado para dar aulas.

Uma ressalva nesse caso é que, para um docente, a vivência é muito importante. Portanto, ao instruir alunos sobre a prova da OAB ou a carreira na advocacia, passar por essas experiências pode agregar em termos de conteúdo.

A importância do Exame da Ordem

Por mais que um bacharel em direito possa exercer algumas profissões sem passar pelo Exame da Ordem, o número de possibilidades de trabalho tende a aumentar quando se consegue a carteirinha. Isso porque a atividade advocatícia representa boa parte das profissões relacionadas à área.

Portanto, para quem pretende começar uma carreira como advogado, a aprovação na prova da OAB é necessária.

Outra fator são os concursos que só podem ser empossados após atividade advocatícia comprovada. Esses tendem a ser mais difíceis, com um grande número de candidatos por vaga. Alguns exemplos são os de magistratura, procuradoria da República, defensoria e delegacia.

Além disso, ao ser aprovado no Exame, o bacharel passa a ser parte da Ordem dos Advogados do Brasil. Esse órgão é o responsável por regulamentar a profissão de advogado no país, além de debater e reivindicar direitos e deveres relacionados à área.

A OAB é responsável, inclusive, por organizar o Exame de Ordem, certificando-se que profissionais qualificados chegarão ao mercado de trabalho.

*Fonte: Direitonews.com.br
Fonte: blog.estudarparaoab.com.br

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Quase 80% das mulheres vítimas de feminicídio em 2020 em MT nunca denunciaram casos de violência

Publicados

em

Quarenta e nove mulheres vítimas de feminicídio em 2020 nunca registraram denúncias de violência, conforme o relatório técnico produzido pela Superintendência de Observatório de Segurança Pública e divulgado nesta segunda-feira (8).

O estudo analisou os 62 casos de feminicídio em Mato Grosso no ano passado e apontou que7 9% das vítimas não possuíam registros anteriores de violência doméstica contra o agressor. Apenas 13% tinham registros de ameaça, porte de arma ou vias de fato.

Ainda conforme o levantamento, 10 tinham medida protetiva, enquanto que 52 não eram assistidas, seja porque não fizeram boletim de ocorrência ou porque não foram amparadas pelo direito pela Justiça.

Ainda de acordo com o levantamento, as vítimas, em sua maioria, tinham idade de 25 a 45 anos, sendo que 42 casos a motivação para o crime foi passional, seguido por sexual e outros.

Arma e local

 

A maioria dos assassinatos ocorreram no interior do estado e cinco foram em Cuiabá.

De acordo com a secretaria de Segurança, 74% dos casos o local do assassinato foi dentro da própria casa da vítima, enquanto 16% foram em via pública.

A arma branca – facas ou outros meios cortantes – foi o principal meio usado na prática do crime, sendo 43 mulheres mortas dessa forma. Outras 11 foram assassinadas por arma de fogo, cinco pela força muscular e 3 casos por outros meios. A maioria das mortes foram nos finais de semana, pela madrugada.

*FONTE:G1

Continue lendo

Geral

Médico relata frustração e desespero durante atendimentos a pessoas com Covid-19 em MT

Publicados

em

Atuando na linha de frente contra a Covid-19 desde julho do ano passado, o médico Cristiann Fernando da Silva Araújo afirma que equipes de saúde nunca viram tantas mortes ocorrendo simultaneamente.

“Por mais que a morte faça parte do nosso trabalho, acho que ninguém nunca viu tanta morte ocorrendo assim. Ninguém nunca viu um estado tão catastrófico”, afirma.

Segundo ele, a realidade atual é que tem se tornado comum mais de uma pessoa da mesma família não resistir à Covid-19 e as equipes médicas terem que lidar com o fato, o que traz frustração e dor.

“O primeiro sentimento é de muito terror e muita frustração. Hoje é comum na UTI termos irmãos intubados no mesmo lugar, é comum dar a notícia de óbito do pai de família e logo depois falar sobre a morte da mãe, da tia. Você tem que falar com as mesmas pessoas, com a mesma família”, explica.

Segundo Cristiann, a rotina das equipes que estão trabalhando na linha de frente é extremamente cansativa.

“Todos nós queremos fazer um bom trabalho, independente da profissão. Nós, como médicos, queremos as pessoas bem. Isso é natural. Só que infelizmente nesse cenário isso não tem sido muito comum, porque a doença, em casos graves, e muito violenta e nos abate muito cada notícia de óbito. Cada vez que a gente conversa com uma família é algo extremamente cansativo”, desabafa.

Dados da Covid-19 em MT:

 

O número de mortes por Covid-19 em Mato Grosso passou de 6 mil nesse domingo (7). De acordo com o Painel Covid-19, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) registrou desde o início da pandemia 261.116 casos confirmados da Covid-19 e 6.016 óbitos em decorrência da doença no estado.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 476 internações em UTIs públicas e 412 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 98,96% para UTIs adulto e em 49% para enfermarias adulto.

A ocupação teve uma leve redução. Nesse sábado, quase 100% dos leitos de UTI para Covid-19 estavam ocupados.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (56.231), Rondonópolis (20.440), Várzea Grande (16.420), Sinop (13.322), Sorriso (10.540), Tangará da Serra (10.186), Lucas do Rio Verde (9.513), Primavera do Leste (7.794), Cáceres (5.752) e Nova Mutum (5.164).

Essa é a segunda vez que a saúde de Mato Grosso entra em colapso desde o início da pandemia.

A Secretaria Estadual de Saúde pediu a outros estados auxílio para possíveis transferências de pacientes com Covid-19.

São quase 60 pacientes que estão na fila de espera por um leito de UTI.

A Secretaria informou que não houve confirmação oficial por parte dos estados até o momento, até porque a situação é de hospitais cheios em todas as regiões do país.

*FONTE:G1

Continue lendo

Geral

Dois são presos e adolescentes são apreendidas durante festa com aglomeração e bebidas em MT

Publicados

em

Duas pessoas foram presas e duas adolescentes apreendidas durante uma festa com aglomeração de pessoas e bebidas alcoólicas em uma casa em Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá, na noite de sábado (6).

Policiais civis faziam rondas na cidade para reforçar o cumprimento dos decretos de prevenção ao coronavírus, quando encontraram vários carros estacionados e barulho de som na casa.

Ao realizar a abordagem ao local do evento, os policiais encontraram duas adolescentes ingerindo bebida alcoólica. Questionadas sobre o fato, elas indicaram a pessoa que teria fornecido a bebida e o responsável pela festa.

As duas pessoas foram identificadas e, junto com as menores, encaminhadas para a Delegacia da Polícia Civil de Vila Bela. O Conselho Tutelar do município foi acionado e acompanhou a ação.

De acordo com a polícia, os dois adultos foram presos em por fornecer bebida alcoólica menores e as adolescentes ouvidas e entregues ao Conselho Tutelar.

*FONTE:G1

Continue lendo

Política

Polícia

GERAL

Mais Lidas da Semana